A-A+

Cineasta ucraniano preso na Rússia vence prêmio Sakharov 2018

O prêmio foi concedido pela Eurocâmara e foca em pessoas que apresentaram 'contribuição excepcional' à luta pelos direitos humanos

O cineasta preso, Oleg Sentsov, foi escolhido como o vencedor do prêmio Sakharov 2018O cineasta preso, Oleg Sentsov, foi escolhido como o vencedor do prêmio Sakharov 2018 - Foto: Wikipédia

O cineasta ucraniano Oleg Sentsov, preso na Rússia, foi escolhido como o vencedor do prêmio Sakharov 2018, concedido há 30 anos pela Eurocâmara para pessoas que apresentaram uma "contribuição excepcional" à luta pelos direitos humanos. Por indicação da principal bancada, o Partido Popular Europeu (PPE), Sentsov era um dos finalistas do prêmio, ao lado do ativista marroquino Nasser Zefzafi e de ONGs que resgatam migrantes no Mediterrâneo.

Detido na Crimeia após a anexação daquela península pela Rússia, em 2014, Sentsov, que agora tem 42 anos, foi condenado em 2015 a 20 anos de prisão por terrorismo e tráfico de armas. O julgamento foi classificado de stalinista pela Anistia Internacional e denunciado por Ucrânia, União Europeia e Estados Unidos. Neste ano, o cineasta ficou debilitado devido a uma greve de fome que durou mais de quatro meses.

Leia também:
'Tito e os Pássaros' é pré-indicado ao Oscar de animação
Cineasta francesa Anäis Caura fala sobre seu processo criativo no Animage
Rússia divulga foto de cineasta em greve de fome
Crítica: 'Halloween' retorna ao assassino mascarado 40 anos depois
Crítica: Filme 'Meu anjo' extrapola o estereótipo da mãe má

O presidente do Parlamento, Antonio Tajani, afirmou que a premiação reconhece a coragem de Sentsov. Afirmando que ele está em más condições de saúde após a greve de fome, Tajani acrescentou: "Pedimos às autoridades que o libertem imediatamente."

Principal honraria de direitos humanos da União Europeia, o Prêmio Sakharov para a Liberdade de Pensamento recebeu esse nome em homenagem ao dissidente soviético Andrei Sakharov, um físico nuclear que ganhou o Nobel da Paz em 1975 por seus esforços em prol dos direitos civis. No ano passado, o prêmio foi concedido à oposição ao ditador da Venezuela, Nicolás Maduro.

O primeiro ganhador, em 1988, foi Nelson Mandela , então preso pelo regime do Apartheid (1948-1994). Os países do G7, além de personalidades da área cultural, como o cineasta Jean-Luc Godard e o ator Johnny Depp, pediram a sua libertação.
De acordo com a Promotoria, o cineasta coordenou um grupo na região autônoma ligado ao movimento de extrema direita Pravy Sektor, um dos mais atuantes na revolta.

A suposta célula de extrema direita foi responsabilizada por Moscou de ter jogado coquetéis molotov contra as sedes do partido governista Rússia Unida e da Sociedade Russa da Crimeia, em Simferopol, em abril do ano passado.

No julgamento, ele admitiu ter participado dos protestos que derrubaram o presidente ucraniano Viktor Yanukovich em Kiev no final de 2013, mas negou as acusações apresentadas pela Promotoria. Ele também acusou agentes russos de tê-lo torturado na prisão. Sentsov dirigiu em 2011 seu primeiro e único longa-metragem, "Gamer", que estreou no Festival Internacional de Cinema de Roterdã.

Veja também

Nova galeria movimentará as artes na Zona Sul do Recife
Artes Visuais

Nova galeria movimentará as artes na Zona Sul do Recife

Nova 'Malhação' terá autores novatos e retratará a pior escola do Brasil
Novelas

Nova 'Malhação' terá autores novatos e retratará a pior escola do Brasil