Cinema São Luiz está com as portas fechadas

Defeito em uma peça do projetor está impossibilitando a exibição de filmes no equipamento cultural desde dezembro

Festivais realizados em novembro e dezembro foram realizados com equipamento emprestadoFestivais realizados em novembro e dezembro foram realizados com equipamento emprestado - Foto: André Nery/Arquivo Folha de Pernambuco

O Cinema São Luiz começou o ano de 2018 fechado. Desde o dia 13 de dezembro que o equipamento está sem condições de exibir sua programação regular, porque o projetor está com uma peça com defeito: a placa ICP. "A programação estava toda pronta, mas infelizmente o cinema não está funcionando", diz Geraldo Pinho, programador do São Luiz. "Não conseguimos finalizar a programação do ano por conta da ausência dessa placa. Sem ela, o projetor não funciona, não roda o filme. Todo o resto está funcionando", avisa.

A placa começou a dar problema na época da 10ª edição do Janela Internacional de Cinema do Recife, que ocorreu entre os dias 3 e 12 de novembro. "O Janela foi feito com equipamento que o festival alugou. Depois do Janela, esse equipamento foi recolhido", detalha Gustavo Coimbra, gestor do Cinema São Luiz. "Em seguida, foi cedida outra placa para a gente, por empréstimo do Porto Mídia, até 13 de dezembro", comenta. A sala funcionou durante a 9ª edição do Festival de Curtas de Pernambuco (FestCine), entre os dias 4 e 9 de dezembro, com esse empréstimo.

Leia também:
Fechado desde 2010, Teatro do Parque recebe nova visita técnica
Licitação para obras do Teatro do Parque é suspensa pela Prefeitura do Recife

Segundo a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), foi aberta uma licitação para a aquisição definitiva da placa. Até a compra, a equipe do cinema espera alugar outra peça, para que a sala continue funcionando normalmente. "É complexo, porque são poucas empresas no Brasil que mexem com isso. Alexandre Barros, que foi chamado pelo Janela para atuar na parte técnica, é parceiro nosso também. Como é uma placa cara e não há empresas que façam a locação, ele sugeriu alugar o equipamento dele", explica Gustavo.

"Ele veio aqui e passamos o sábado tentando configurar. Mas por ser outro modelo não teve compatibilidade", lamenta Gustavo. "Alexandre avisou que em São Paulo um amigo dele tem o modelo que precisamos. Ele ficou de fazer o contato para a locação. Agora estamos correndo atrás dos documentos. Muita coisa já foi encaminhada. Até quinta-feira esperamos resolver", ressalta. "Quando os documentos chegarem, vamos repassar para a Fundarpe, que já aceitou a locação da placa. Eles dando o ok, autorizando a vinda de Alexandre, vamos instalar", detalha.

Procurada pela reportagem, a Fundarpe não emitiu nota oficial até o fechamento desta edição.

Veja também

1º Prêmio Machado DarkSide de Literatura já tem mais de mil projetos inscritos
Mercado editorial

1º Prêmio Machado DarkSide de Literatura já tem mais de mil projetos inscritos

Blogueira assume cargo na Funarte após ter nomeação suspensa no Iphan
Cargo

Blogueira assume cargo na Funarte após ter nomeação suspensa no Iphan