Circuito Musica Brasilis apresenta composições eruditas do século 19

Obras do padre e professor José Maurício Nunes Garcia é executada nesta quinta-feira (31) no Teatro de Santa Isabel

Orquestra Sinfônica da UFPEOrquestra Sinfônica da UFPE - Foto: Divulgação

Mulato descendente de escravos, padre e professor, José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) teve fundamental importância para a música erudita brasileira do século 19. Pouco reverenciado nos dias de hoje, a vida e a obra do compositor carioca - cujo nascimento completa 250 anos - ganham o palco do Teatro de Santa Isabel. Ele é o homenageado da vez do Circuito Musica Brasilis, que aporta no Recife, nesta quinta-feira (31), com concerto às 20h, depois de passar pelo Rio de Janeiro, Petrópolis e Porto Alegre.

O repertório da apresentação estreia, em tempos modernos, as únicas obras não sacras sobreviventes do artista: "Ulissea" e "Triunfo da América". As composições foram recuperadas pelo musicólogo Sérgio Dias, na residência dos Orleans e Bragança, em Portugal. "Dom João VI reconhecia o valor do trabalho produzido por José Maurício. Ele usava o próprio dinheiro para encomendar suas obras.

Leia também:

Projeto All'Opera aproxima público do ritmo erudito

Provavelmente, essas peças encontradas foram compradas por ele e levadas quando a família real portuguesa deixou o Brasil", explica a cravista Rosana Lanzelotte, curadora e idealizadora do festival. Também serão tocadas as músicas religiosas "Laudamus Te" e "Abertura em ré".

As composições serão executadas pela Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com regência de Sérgio e participação das solistas Marília Vargas e Gleice Mello. Entre uma música e outra, projeções de imagens e um roteiro teatral ajudam a contextualizar o repertório. Interpretando José Maurício Nunes, o ator pernambucano Carlos Ferrera narra o texto de autoria de Rosana, revelando um pouco da biografia do compositor e do período histórico que ele viveu. "Para atrair o interesse do público, pensei em criar espetáculos no sentido mais amplo, envolvendo as obras numa dramaturgia que não soasse didática", afirma a curadora.

Depois da capital pernambucana, a turnê nacional do projeto deve passar por Brasília, Manaus e Aracaju com patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Criado em 2009, o circuito é um desdobramento do portal Musica Brasilis, que disponibiliza partituras, áudio e vídeo de peças musicais de compositores brasileiros, desde o período colonial até a época contemporânea. "Hoje, temos 15 mil acessos por mês, vindos de várias partes do mundo. Essa é a prova de que estamos conseguindo alcançar nosso objetivo maior, que é dar visibilidade à música brasileira", continua Lanzelotte.

A série de espetáculos cênico-musicais faz ainda outras homenagens. O circuito prestigia ainda o compositor francês Darius Milhaud (1892-1974), que chegou ao Brasil há cem anos; a compositora Chiquinha Gonzaga (1847-1935), que completaria 170 anos de nascimento; e os 200 anos de falecimento do Conde da Barca (1754-1817), cuja morte é tema de cortejo fúnebre de Sigismund Neukomm (1778-7858).

Serviço
Circuito Musica Brasilis
Quando: nesta quinta-feira (31), às 20h
Onde: Teatro de Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio)
Quanto: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Informações: (81) 3355-3322

Veja também

'Venha comigo se quiser viver', diz Arnold Schwarzenegger ao tomar vacina contra Covid-19
Vacina

'Venha comigo se quiser viver', diz Arnold Schwarzenegger ao tomar vacina contra Covid-19

Gusttavo Lima parabeniza Andressa Suita, e seguidores torcem por reconciliação
Celebridades

Gusttavo Lima parabeniza Andressa Suita, e seguidores torcem por reconciliação