Conheça as principais exposições de 2018

'Arte-Veículo', 'Irving Penn' e 'Histórias Afro-Atlântica' estão entre os destaques

Instituto Tomie OhtakeInstituto Tomie Ohtake - Foto: Instituto Tomie Ohtake/Divulgação

'Histórias Afro-Atlânticas'
Uma das maiores e mais ambiciosas mostras já realizadas pelo Masp, com uma segunda ala montada no Instituto Tomie Ohtake, a exposição reviu séculos da presença negra nas artes desde a escravidão, expondo como a violência racial forjou o cânone visual do Ocidente

'Mulheres Radicais'
Nomes consagrados como Lygia Pape, Anna Maria Maiolino e Ana Mendieta ganharam a companhia de mulheres que moldaram a experiência estética da América Latina, entre elas María Evelia Marmolejo e Regina José Galindo, que tiveram suas performances viscerais revistas na mostra da Pinacoteca

'Arte-Veículo'
Na era das fake news, ampla investigação no Sesc Pompeia mostrou como artistas e grupos, entre eles Cildo Meireles, Paulo Bruscky, Jac Leirner e o grupo 3Nós3, sabotaram os mecanismos da grande imprensa para espalhar suas mensagens

Hilma af Klint
Recuperação histórica de importante figura nas artes. As pinturas gigantescas da artista sueca redescoberta agora levam o misticismo e o esoterismo à esfera do bom gosto

Leia também:
Universo de Tomaz Viana em exposição no Bairro do Recife
Exposição 'Identidades' propõe uma imersão no universo artístico particular
Mais de 1.500 itens são achados sob escombros do Museu Nacional do Rio


Irving Penn
Numa revisita às mais de seis décadas da trajetória do fotógrafo, o Instituto Moreira Salles mostrou a maestria de seu trabalho de estúdio em que imperam o domínio de luz e sombra e impressão fotográfica aliadas ao glamour do pós-Guerra

Principais embates

Aeroportos e museus
Desde que os aeroportos passaram a cobrar taxas com base no valor e não mais o peso das peças para a entrada de obras de arte no país, museus precisaram ter um advogado sempre a mão para anular a cobrança e viabilizar suas mostras. O problema foi solucionado depois de um acordo político, esclarecendo que a entrada de trabalhos artísticos no país tem um papel cívico-cultural.

Loucurinhas nos leilões
O fato mais memorável do ano foi a performance às avessas em que o grafiteiro Banksy mandou triturar uma de suas obras bem na hora em que o martelo foi batido. David Hockney também fez história ao se tornar o artista vivo com a obra mais cara já arrematada, uma de suas telas das piscinas californianas vendida por US$ 90,3 milhões. Na outra ponta do espectro, a tela de Jackson Pollock que o MAM do Rio tentou vender para sair do buraco encalhou no leilão

Bienal alienada
Enquanto o circuito paralelo ferveu com mostras de pegada política urgente, entre elas 'AI-5 - 50 Anos', 'Arte-Veículo' e 'Estado(s) de Emergência', a 33ª Bienal de São Paulo mostrou um conjunto de belas obras em total descompasso com a realidade e os atritos fora do Ibirapuera

Negros no comando
O Masp, que realizou só mostras de artistas negros no ano, liderou um fenômeno do circuito institucional e do mercado para incorporar aos acervos trabalhos de artistas históricos há muito negligenciados, em especial Rubem Valentim, e novos nomes que despontam na cena, como Antonio Obá, Bruno Baptistelli, Jaime Lauriano, Dalton Paula e Rosana Paulino

Veja também

'Admiro mães que fazem tudo sozinhas', diz Virgínia Fonseca
Celebridades

'Admiro mães que fazem tudo sozinhas', diz Virgínia Fonseca

Lucas Rangel assume namoro e fãs comparam namorado com Noah Centineo
Famosos

Lucas Rangel assume namoro e fãs comparam namorado com Noah Centineo