Curtas mantêm aquecido o debate sobre cinemas de rua

Assista a outros curtas que tratam do tema, como "Cosmorama", de Moema França, sobre o destino de sala de rua em Caruaru

Culpa Culpa  - Foto: Divulgação

O grupo que ocupa o Cine Olinda há 12 dias segue programando exibições de curtas e longas-metragens, como forma de prolongar debates sobre a importância do equipamento, fechado há mais de 50 anos, e mostrar que há um público interessado no assunto. A programação desta terça-feira (11) conta com quarto curtas-metragens.

Antes, há uma aula sobre cinemas de rua, às 19h30, com Luiz Joaquim, crítico e programador do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco. As ações são gratuitas. Serão exibidos, em sequência: "Bajado" (2015), de Marcelo Pinheiro; "Cine Glória" (1979), de Fernando Spencer e Félix Filho; "Homem de Projeção" (1992) e "Casa de Imagem" (1992), ambos de Kleber Mendonça Filho.

O primeiro é um documentário sobre a vida e a obra do pintor popular Euclides Francisco Amâncio, que se autointitula "Bajado, um artista de Olinda". Por muitos anos, Bajado foi funcionário do Cine Olinda. No segundo, Spencer e Filho filmaram um documentário sobre o Cine Glória, sala de cinema inaugurada em 1926, que ficava no bairro de São José, famoso por suas sessões à tarde.

Já os curtas de Kleber apresentam a perspectiva do autor sobre a cultura do cinema de rua, através de Alexandre Moura, que era o operador de projeção no Cine Art Palácio, em 1991 (em "Homem de Projeção") e um testemunho em forma de documentário sobre o fim dos cinemas de rua no Bairro do Recife, em "Casa de Imagem" (que foi o Trabalho de Conclusão de Curso do realizador, em parceria com Elissama Cantalice).

Nos últimos anos, o cinema de rua foi abordado em alguns filmes, como você pode ver abaixo.

"Cosmorama - relatos dos cinemas de rua em Caruaru"
A jornalista Moema França, repórter do caderno Cotidiano da Folha de Pernambuco, fez este vídeo para o projeto Curtas Universitários, em parceria com o Canal Futura.

Assista ao vídeo na íntegra:


"Entre Andares"
Marina Moura Maciel e Aline van der Linden retratam a história de cinco pessoas que resistem, no Centro do Recife, junto a um prédio em estado de degradação. Memórias pessoais se misturam às histórias do edifício e da cidade. O filme estreou no Festival Internacional de Cinema de Realizadoras (Fincar), em julho, no cinema São Luiz. Foi selecionado para o 27º Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, o Curta Kinoforum.

Assista ao trailler:



"Cinema Império"
Este foi o trabalho de conclusão do curso do jornalista Hugo Coutinho. Mostra memórias dos moradores de Água Fria, bairro da Zona Norte do Recife, sobre o antigo Cinema Império.

Assista ao vídeo na íntegra:



"O que se Memora"

Caio Dornelas e Ernesto Rodrigues rodaram o filme em Nazaré da Mata, Goiana e Timbaúba, na Zona da Mata pernambucana.

Assista na íntegra:

 


Veja também

Livro de brasileiro sobre jovens com HIV conquista editora de 'Harry Potter'
Literatura

Livro de brasileiro sobre jovens com HIV conquista editora de 'Harry Potter'

Rodrigo Bocardi se despede de Glória Vanique após ela deixar Globo
Televisão

Rodrigo Bocardi se despede de Glória Vanique após ela deixar Globo