Curtas pernambucanos na 10ª edição da CineBH

Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte acontece entre os dias 20 e 27 de outubro, com programação gratuita

STAR WARS: A ASCENSÃO SKYWALKER STAR WARS: A ASCENSÃO SKYWALKER  - Foto: Reprodução/ Adorocinema

Dois curtas-metragens pernambucanos estão na programação da 10ª edição da CineBH – Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, que começa nesta quinta-feira (20), e segue até o dia 27 de outubro, em diversos espaços culturais da cidade mineira. As produções “Cheiro de melancia”, de Maria Cardozo, e “Represa”, de Milena Times, serão exibidas durante a mostra de curtas do festival. Toda a programação é gratuita e aberta ao público.

A Mostra exibirá 69 filmes, sendo 37 longas, 3 médias e 29 curtas-metragens, distribuídos em 55 sessões. O festival reúne filmes de 12 países (Portugal, França, EUA, Moçambique, Dinamarca, Argentina, México, Espanha, Paraguai, Bolívia, Reino Unido e Japão), além de produções nacionais de nove estados (Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Bahia, Rio Grande do Sul, Paraíba e Ceará).

Na Mostra Contemporânea haverá a exibição de pré-estreias, com os novos trabalhos de Rita Azevedo Gomes (Correspondências) e Salomé Lamas (Eldorado XXI) e os curtas de duas novas realizadoras de Portugal, Luísa Sequeira (Os cravos e a rocha) e Joana Pimenta (Um campo de aviação). Do cinema latino-americano, além dos brasileiros “Beduíno”, de Julio Bressane, “Redemoinho”, de José Luiz Villamarim, e “Rifle”, de Davi Pretto, o argentino “Hermia e Helena”, de Matias Piñeyro, o paraguaio “La Última Tierra”, de Pablo Lamar, e o boliviano “Viejo Calavera”, de Kiro Russo. Outros filmes exibidos serão “A Canção do Pôr do Sol”, do inglês Terence Davies, e “Certas Mulheres”, da norte-americana Kelly Reichardt.

A mostra Cidade em Movimento, por sua vez, traz 12 filmes que questionam arbitrariedades e situações-limite vividas pela sociedade na luta por espaço e ocupação na paisagem urbana. Os filmes escolhidos foram produzidos na emergência de cada movimento da cidade em que estavam inseridos. Alguns dos títulos são “Na Missão com Kadu”, de Aiano Bemfica, Kadu Freitas e Pedro Maia de Brito; “O Som que Vem das Ruas”, de Daniel Veloso e Eduardo Zunza; “Sobre Carnavais e Revoluções”, de Fred França; e “Memórias de Izidora”, de Vilma da Silveira, João Victor Silveira de Paula, Kadu de Freitas, Edinho Vieira e Douglas Resende.

Na programação está ainda a novidade da mostra “A Cidade em Movimento”, que é organizada por grupos e coletivos da cidade e se propõe a discutir a relação entre o audiovisual e as questões sociais e urbanas da capital.  

 

Veja também

Mauricio de Sousa celebra 60 anos de Cebolinha: 'Orgulhoso pelo filho que eu criei'
Quadrinhos

Mauricio de Sousa celebra 60 anos de Cebolinha: 'Orgulhoso pelo filho que eu criei'

Artes visuais: como curadores e galeristas escolhem novos talentos no Recife
Artes Visuais

Artes visuais: como curadores e galeristas escolhem novos talentos no Recife