De Caruaru encenando para o mundo, na Feteag

Festival de Teatro do Agreste celebra 35 anos com edição dedicada ao limite fluido entre dança, teatro e performance

O Poderoso ChefinhoO Poderoso Chefinho - Foto: Divulgação

 Símbolo da resistência da classe artística no Interior de Pernambuco, o Festival de Teatro do Agreste (Feteag) completa 35 anos de existência. Em sua 26ª edição, o evento leva apresentações de espetáculos e atividades formativas às cidades de Caruaru e Recife, de hoje até 15 de outubro. São doze peças profissionais e quatro produzidas por estudantes. Entre os destaques da programação, estão os grupos Lume Teatro e Teatro da Vertigem, ambos de São Paulo. Hoje, é dada a largada da programação com Flavia Pinheiro, do Coletivo Mazdita, fazendo a performance “Contato Sonoro”, na Praça da Conceição, em Caruaru, às 15h.

“É muito difícil ver ações voltadas para as artes cênicas em cidades do Interior. Ao longo de mais de três décadas, o festival tem cumprido o papel de mudar isso e despertar o interesse da população de Caruaru pelo teatro e pela dança”, afirma Fabio Pascoal, coordenador geral e idealizador do evento. Neste ano, o projeto estende o alcance de suas atividades e chega até a Capital pernambucana. “Há muito tempo, a gente vem alimentando a vontade de dialogar mais com o Recife. Chegamos perto disso em 2013, quando selamos uma parceria com o Trema!. Resolvemos aprofundar essa relação, para dar oportunidade às pessoas que não podem viajar para Caruaru e para dar mais visibilidade ao nosso festival”, explica o curador.
Na Capital Pernambucana, a programação tem início na próxima quinta-feira, com o monólogo “A merda (La merda)”, da paulista Christiane Tricerri. Sentada em um pedestal circense, uma aspirante a apresentadora de TV expõe sua revolta contra a mídia e as celebridades, que ditam padrões de beleza e de comportamento quase inatingíveis. No Teatro de Santa Isabel, às 20h. Na noite seguinte, a peça segue para o Teatro Rui Limeira Rosal, em Caruaru.
O Lume Teatro encena “Pupik - Fuga em 2”, criado em parceria com a companhia inglesa Karavan Ensemble, no Teatro Hermilo Borba Filho, no dia 7 de outubro, às 20h.

A montagem resulta do intercâmbio entre duas atrizes: a inglesa Naomi Silman e a israelense Yael Karavan. Fala sobre relação de pertencimento e construção de uma identidade cultural. Em “Conversas com meu pai”, no dia 8, a atriz paulista Janaina Leite compartilha com o público bilhetes escritos por seu pai, que sofreu uma traqueostomia. Já no dia 9, o português Bruno Humberto questiona a responsabilidade do espectador com a performance “A morte da audiência”, unindo dança, vídeo, teatro-físico, poesia e música.
A grande atração desta edição é o Teatro da Vertigem, com mais de duas décadas de história. A companhia aporta em Caruaru com o projeto “Kafka na Estrada”, com oito sessões da peça “O filho”. A montagem, que poderá ser vista no Espaço Cultural Tancredo Neves, a partir do dia 11, é inspirada no texto “Carta ao pai”, de Kafka. A passagem do grupo por Pernambuco abrange mostra de filmes, laboratório e roda de conversas.

 

Veja também

Bruno Gagliasso e Gio Ewbank ficam em ilha particular com diária de mais de R$ 20 mil
Famosos

Bruno Gagliasso e Gio Ewbank ficam em ilha particular com diária de mais de R$ 20 mil

Novo 'Missão Impossível' tem 12 pessoas do set com Covid e corre risco de novo atraso
Cinema

Novo 'Missão Impossível' tem 12 pessoas do set com Covid e corre risco de novo atraso