A-A+

Documentário 'Vindas e Vidas' relata o drama de migrantes venezuelanos

O filme, que ganha sessão de estreia no Cinema São Luiz, é fruto de uma parceria entre o Ministério Público Federal (MPF) na 5ª Região, a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e a Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2

Documentário "Vindas e vidas" Documentário "Vindas e vidas"  - Foto: Divulgação

Segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM), o número de venezuelanos que saíram do seu país por causa da crise política econômica chegou a 4,6 milhões no ano passado. A previsão da agência da ONU para 2020 é de que esse montante continue crescendo e ultrapasse 6 milhões. No documentário "Vindas e Vidas", que será lançado no dia 20 de janeiro, o drama dessas pessoas é representado a partir das histórias de quatro famílias diferentes morando no Recife. A sessão de estreia será realizada no Cinema São Luiz, com entrada gratuita, às 19h.

O filme de 47 minutos é resultado de uma parceria entre o Ministério Público Federal (MPF) na 5ª Região, a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e a Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2. "Já tínhamos feito uma parceria com a Unicap em 2016, para o documentário 'Pedro Jorge - Uma vida pela justiça', e deu muito certo. Mantivemos algum contato com a universidade e, em 2017, contribuímos com uma campanha de recolhimento de donativos para os refugiados venezuelanos que a instituição estava realizando. Foi quando tivemos o primeiro contato com o pessoal da Cáritas e, a partir disso, surgiu a ideia do filme", explica Cláudia Holder. Ela assina a direção técnica do trabalho ao lado de Ana Cláudia Dolores, Jaqueline Maia e Lícia Magna.

A partir de entrevistas com os migrantes e representantes de diferentes instituições, "Vindas e Vidas" não busca falar apenas das dificuldades que levaram essas pessoas a deixarem seus países, mas também do processo de integração delas nos novos lares. "A atual situação da Venezuela gera material para muitas abordagens, mas, como temos limitações de tempo, geografia e recursos, estabelecemos um recorte. Nossa opção foi mostrar como os venezuelanos estão sendo recebidos aqui e tentar, por meios das histórias particulares de cada um, desmistificar a visão de que eles estão vindo para cá para roubar os empregos dos brasileiros. Mostramos que eles têm qualificação, são pessoas como nós e merecem esse acolhimento para terem condições de cuidarem das suas vidas", afirma Cláudia.

Leia também:
[Crítica] '1917' prende o público com experiência cinematográfica imersiva
'Mistério no Mediterrâneo' foi o filme mais popular na Netflix em 2019
Venezuelanos vivem em condições precárias no Recife


Até novembro de 2019, a Plataforma de Coordenação para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V) contabilizou a entrada de 224 mil venezuelanos no Brasil. O País é o sexto destino mais procurado por eles, ficando atrás de Colômbia, Peru, Chile, Equador e EUA. Parte das famílias entrevistadas para o projeto foi atendida pelo Programa de Interiorização Voluntária (PANA), que já trouxe para Pernambuco 138 pessoas.



A produção do documentário foi realizada entre abril e junho do ano passado, sem fazer uso do orçamento das instituições responsáveis. A direção institucional é do procurador-chefe da PRR5, Marcelo Alves, do reitor da Unicap, padre Pedro Rubens, e do secretário regional da Cáritas em 2019, diácono Antônio Lisboa. A trilha sonora foi composta exclusivamente para a obra pelo acordeonista austríaco Stefan Matl. Após a sessão de estreia, o filme será exibido em outros eventos, ainda sem data marcada, e ficará disponível para o público em plataformas digitais até o final do ano.

Veja também

Tricerátops 'Big John' é leiloado por US$ 7,7 milhões
Leilão

Tricerátops 'Big John' é leiloado por US$ 7,7 milhões

Eury Donavio comemora um ano de lançamento de livro com evento na Livraria da Praça
Literatura

Eury Donavio comemora um ano de lançamento de livro com evento na Livraria da Praça