Audiovisual

É Tudo Verdade premia documentários sobre ditadura e direitos humanos

Competição de longas brasileiros do festival É Tudo Verdade, o mais importante do gênero documental no Brasil, divulgou os ganhadores

"Libelu - Abaixo a Ditadura""Libelu - Abaixo a Ditadura" - Foto: Divulgação

O documentário "Libelu - Abaixo a Ditadura", de Diógenes Muniz, foi o vencedor da competição de longas brasileiros do festival É Tudo Verdade, o mais importante do gênero documental no Brasil. Os prêmios foram entregues, neste domingo (4), em uma cerimônia online. Aqui, o longa trata da Libelu, organização política de estudantes contra o regime militar, que surgiu em 1976 e extinta em 1985.

Já a menção honrosa foi dada para dois longas "Segredos de Putumayo", de Aurélio Michiles, sobre Roger Casement (1864-1916) que é considerado o pai dos inquéritos sobre a violação de direitos humanos, e "Fico Te Devendo Uma Carta Sobre o Brasil", de Carol Benjamin, que trata de três gerações de uma família que passou pela
ditadura civil-militar brasileira.

Na competição internacional, o vencedor foi o longa "Colectiv", de Alexander Nananu, que aborda a corrupção no sistema de saúde da Romênia que foi descoberto por jornalistas e é costurado a partir de um incêndio em uma boate que causou a morte de 37 pessoas.

Nesta categoria, a menção honrosa foi para "O Espião", de Maite Alberdi, que trata de um homem que é convidado a interpretar um espião que precisa se infiltrar num asilo onde, supostamente, um residente está sofrendo maus-tratos.

Entre os curtas, os premiados foram o brasileiro "Filhas de Lavadeiras", de Edileuza Penha de Souza. A obra narra histórias de negras que, graças ao trabalho árduo de suas mães, puderam ir para a escola e refazer os caminhos trilhados por suas antecessoras.


O polonês "Meu País Tão Lindo", de Grzegorz Paprzycki, foi eleito o melhor curta-metragem internacional. O filme fala de duas forças que representam visões de mundo diferentes: a perspectiva esquerdista de país contra a Polônia homogeneizada construída pela extrema direita.

Os quatro vencedores da 25ª edição do festival, "Libelu - Abaixo a Ditadura", "Colectiv", "Filhas de Lavadeira" e "Meu País Tão Lindo" estão automaticamente qualificados para tentar uma vaga no Oscar nas categorias de melhor longa e melhor curta documental.

Durante a cerimônia, os diretores de filmes que participaram do festival apresentaram um manifesto contra os rumos da política cultural no país e o abandono da Cinemateca Brasileira.

"O governo de extrema-direita de Jair Bolsonaro age, desde o início, para atacar e silenciar os brasileiros que fazem da cultura e da arte seu ofício", disseram. "A atividade audiovisual está paralisada, desde março de 2019, com a suspensão de todos os recursos públicos de filmes e séries, que tem provocado uma taxa crescente de desemprego e a ameaça de paralisia total do setor".

Veja também

Drew Barrymore diz que ator de 'As Patricinhas de Beverly Hills' foi primeiro namorado dela
Famosos

Drew Barrymore diz que ator de 'As Patricinhas de Beverly Hills' foi primeiro namorado dela

'Deficiente Metafísico' é o poema da semana de Wilson Araújo
Rimas e Versos

'Deficiente Metafísico' é o poema da semana de Wilson Araújo