Elza Soares mistura digital com orgânico em show

Criativa e sem preconceitos, Elza Soares vive de se reinventar. Show desta noite faz uso de loops e samples, além de processar a voz com traquitanas eletrônicas

Elza Soares no clipe Mulher do Fim do MundoElza Soares no clipe Mulher do Fim do Mundo - Foto: Reprodução / Youtube

Elza Soares apresenta nesta sexta-feira (9), às 22h30, na Casa Natura Musical, em São Paulo, a nova versão do show "A Voz e a Máquina". A artista celebra 60 anos de carreira acompanhada por dois nomes da música eletrônica, Ricardo Muralha e Bruno Queiroz, além do guitarrista e produtor musical Caesar Barbosa.

O quarteto promete muito som fazendo uso de loops e samples, além processar a voz da cantora com várias traquitanas eletrônicas, em meio a arranjos originais que mesclam som digital com orgânico. Criativa e sem preconceitos, Elza Soares vive de se reinventar. Nessa nova versão do show, que já foi apresentado em São Paulo no final de 2017, a artista surpreende mostrando essas fortes características.

Leia também:
Elza Soares traz ao Recife o show "A Mulher do Fim do Mundo"
Céu, Elza e Martinho entre os vencedores do Grammy Latino

Entre as músicas do espetáculo, que passam pelo jazz, pop, eletrônico e pelo samba, estão garantidas "Hoje é dia de Festa", "Computadores Fazem Arte", "Mulher do Fim do Mundo" e "A Carne", deixando claro que a grandeza do título "Melhor Cantora do Milênio" -concedido há 18 anos concedido a Elza Soares pela BBC, de Londres- não é um equívoco. Elza Soares é uma das melhores cantoras que o mundo já ouviu e ainda há de ouvir bastante. Por quê? Simples, Elza Soares não faz artesanato, não se repete. Elza Soares faz arte.

Veja também

Demi Lovato será a apresentadora do People's Choice Awards 2020
Premiação

Demi Lovato será a apresentadora do People's Choice Awards 2020

Anitta, Gagliasso, Emicida e mais famosos criticam Bolsonaro e privatização da saúde
Brasil

Anitta, Gagliasso, Emicida e mais famosos criticam Bolsonaro e privatização da saúde