Em mais um filme baseado em Dan Brown

Após “Código da Vinci” e “Anjos e Demônios”, Tom Hanks encarna, novamente, o professor Robert Langdon

22 Milhas22 Milhas - Foto: Internet / Reprodução

 

FLORENÇA (AFP) - A cidade italiana de Florença vive três dias “infernais” que culminarão com o lançamento hoje do filme “Inferno”, com Tom Hanks, protagonista da no­va adaptação do cineasta Ron Howard do livro homô­nimo de Dan Brown. “Florença é uma cidade char­mosa. Inventar um pla­no malvado aqui é uma tarefa impossível, porque há apenas beleza, mistérios e enigmas”, comentou Howard ao inaugurar os festejos para a estreia mundial, na última quinta-feira.
A encantadora cidade dos Médicis, berço no século XIV do Renascimento, é a verdadeira protagonista do filme, baseada no bem-sucedido romance de Brown, que confessou ser fascinado por sua arte e arquitetura.
Toda a equipe do filme viajou para a ocasião à capital da Toscana. Além de Hanks e Ron Howard, estavam presentes o francês Omar Sy, Felicity Jones, Irrfan Khan e o autor de “Inferno”, um romance de mistério e suspense baseado na simbologia oculta na Divina Comédia, a obra clássica de Dante Alighieri, mas que também fala dos problemas da superpopulação mundial.
No esplêndido Salone dei Cinquecento (Salão dos Quinhentos), no Palazzo Vecchio, onde foram rodadas várias cenas de “Inferno”, responderam as perguntas de dezenas de jornalistas do mundo todo. “A ignorância é o maior perigo para a humanidade”, disse o ator americano Hanks, de 60 anos, ao comentar um dos aspectos abordados pelo livro.
Hanks, simpatizante do Partido Democrata, também se referia às eleições presidenciais em seu país. “Se observarem a história, ou se lerem os livros de Dan Brown, poderão perceber que o mundo se encontrou frequentemente diante de uma encruzilhada que o o­bri­ga a aprender a conviver uns com os outros”, explicou o ator. “Alguns países respondem com simplicidade a problemas complexos”, comentou, lançando outra indireta aos seus compatriotas.
Trilogia
O ator, ganhador de dois Oscar, pela terceira vez encarna o professor Robert Langdon, que dessa vez acorda com amnésia em um hospital, onde é atendido pela doutora Sienna Brooks (Felicity Jones). Ela o ajudará a recuperar a memória e evitar a propagação de um vírus que ameaça a metade da população do planeta.
Depois de “Código da Vin­ci” (2006) e “Anjos e Demônios” (2009), Hanks conta o inferno que inspirou o poeta florentino Dante para descrever os círculos que atravessa em sua própria jornada na vida após a morte.
Com a jovem médica, Sienna Brooks, participa de uma corrida contra o tempo entre Florença, Veneza e Istambul para frustrar o malvado plano de um cientista decidido a exterminar 90% da humanidade com um vírus assassino.

 

Veja também

Artistas se unem para arrecadar fundos para ações na Cracolândia
Solidariedade

Artistas se unem para arrecadar fundos para ações na Cracolândia

Dani Calabresa diz que namorado a fez acreditar que 'vale a pena se jogar' no amor
famosos

Dani Calabresa diz que namorado a fez acreditar que 'vale a pena se jogar' no amor