racismo

Entregador vítima de racismo recebe apoio de famosos, ganha moto e viraliza nas redes

Luciano Huck, Ludmilla e Datena estão entre celebridades que manifestaram indignação

Motoboy sendo humilhado em vídeoMotoboy sendo humilhado em vídeo - Foto: Reprodução

Um vídeo mostrando um motoboy sendo humilhado por um morador de um condomínio de luxo em Valinhos, no interior de São Paulo, viralizou nesta sexta-feira (7). Nas imagens, Mateus Abreu Almeida Prado Couto chama o entregador de 19 anos, Matheus Pires, de lixo, analfabeto e invejoso, apontando para a cor da própria pele, branca.

Luciano Huck foi uma das celebridades revoltadas com a situação. "Vergonha, tristeza e revolta. Foi o que senti quando recebi este vídeo. Nele esta tudo contra o que lutamos. Matheus Pires foi corajoso e não baixou a cabeça para o preconceito. Temos de nos unir a luta de Matheus pra mudar o Brasil. Este vídeo e revoltante. E um dever como cidadão denuncia-lo", compartilhou o apresentador em seu Instagram.
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Foi o q senti qdo recebi este vídeo. Nele está tudo contra o que lutamos. Matheus Pires foi corajoso e não baixou a cabeça pro preconceito. Temos de nos unir à luta de Matheus pra mudar o BR. Este vídeo é revoltante. É um dever como cidadão denuciá-lo. #SomosTodosMateus @matheuspiresdd #racismoécrime

Uma publicação compartilhada por Luciano Huck (@lucianohuck) em 7 de Ago, 2020 às 9:46 PDT

Em seguida, o apresentador postou um bate-papo com Pires, no qual o motoboy explicou o que levou àquela discussão. Ao entregar um pedido a Couto, ele disse que não poderia entrar no condomínio e que o jovem de classe média deveria sair para retirar a encomenda. "Outros entregadores já haviam falado que ele trata os motoboys com desrespeito", afirmou o rapaz.

De acordo com Pires, as imagens não mostram, mas, além das ofensas, Couto cuspiu e jogou a nota do pedido nele. Ao responder a Huck, que queria saber se ele chamou a polícia, já que haviam vários crimes na situação como racismo e injúria, o entregador disse que sim e ambos foram conduzidos à delegacia. "Na frente do delegado ele me chamou de favelado, tanto que está no boletim de ocorrência, e saiu pela mesma porta que eu", contou.
 



Revoltado com a situação, o apresentador falou sobre a importância de divulgar esse tipo de comportamento, que nas palavras dele "não pode acontecer". "Essas pessoas não estão aqui para nos ajudar a construir um país mais legal, uma sociedade mais fraterna, solidária e justa", pontuou Huck.

Ao se despedir, Pires contou que estava trabalhando com a moto do pai, já que a dele apresentou problema no motor e ganhou uma promessa do apresentador: "Vou dar um jeito de arrumar uma motoca zero para você, para dar uma força nesse momento, para fazer um carinho na família", disse Huck, emocionando o rapaz.

Na postagem de Huck, Angélica, Juliana Paes, Fernanda Keulla e Rick Bonadio foram algumas das celebridades que mostraram indignação com o ocorrido e apoio a Pires. Outros famosos usaram as próprias redes sociais para manifestar revolta com a história.

"O vídeo que mostra o motoboy Matheus sendo humilhado em um condomínio de bacana em Valinhos é um absurdo. Isso é inaceitável. Que nojo! Parece que a pandemia está exagerando em mostrar o lado cretino das pessoas", escreveu José Luiz Datena.
 

Ludmilla também postou o vídeo em seu Instagram. "E mais uma vez a gente esta aqui vendo o racismo atuando. O que você faria se alguém invadisse seu espaço de trabalho apenas para te ofender por causa da cor da sua pele?", iniciou a cantora, emendando: "Mateus não deveria passar por aquilo, assim como nenhum outro preto deveria passar por qualquer ofensa por causa da cor da sua pele. Vamos continuar fazendo barulho e chamando a atenção para isso. Não vamos nos calar mais", escreveu.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

E mais uma vez a gente está aqui vendo o racismo atuando. O que você faria se alguém invadisse seu espaço te trabalho apenas para te ofender por causa da cor da sua pele? Mateus não deveria passar por aquilo, assim como nenhum outro preto deveria passar por qualquer ofensa por causa da cor da sua pele. Vamos continuar fazendo barulho e chamando a atenção para isso. Não vamos nos calar mais. O que esse homem branco viu como desvantagem, a gente sabe que é algo sagrado, carregamos a história dos nossos ancestrais na nossa pele preta com muito orgulho. Fazemos reverência a eles e a nossa história. Nossa pele preta é o manto de reis e rainhas. E incomoda ainda a muita gente branca ver que nós não somos a história que eles querem contar da gente, de pessoas submissas, escravizadas... Somos muito maiores do que isso e vamos nós mesmos contar as nossas histó[email protected]

Uma publicação compartilhada por Ludmilla (@ludmilla) em 7 de Ago, 2020 às 11:30 PDT

 

Veja também

Bruno Fagundes diz que não quer ser estereótipo do macho alfa
Famosos

Bruno Fagundes diz que não quer ser estereótipo do macho alfa

Selo celebra cem anos da escritora Clarice Lispector
Centenário

Selo celebra cem anos da escritora Clarice Lispector