Espetáculo musical celebra os 90 anos de Ariano Suassuna

Peça "Suassuna - O auto do Reino do Sol" é encenada pela companhia Barca dos Corações Partidos

Espetáculo "Suassuna - o auto do Reino do Sol"Espetáculo "Suassuna - o auto do Reino do Sol" - Foto: Marcelo Rodolfo/Divulgação

Depois de imergir na musicalidade de Luiz Gonzaga e reviver um clássico de Chico Buarque ("Ópera do malandro"), a companhia Barca dos Corações Partidos decidiu celebrar as nove décadas que Ariano Suassuna (1927-2014) completaria neste ano. Mas, em vez de abraçar a obviedade, adaptando algum clássico do escritor paraibano ou encenando sua biografia, o grupo preferiu criar uma história original, inspirada no imaginário que povoa as obras do autor.

O musical "Suassuna - O auto do Reino do Sol" estreou no Rio de Janeiro, em junho, e chega ao Recife para duas apresentações no Teatro Guararapes, nesta sexta-feira (3), às 21h, e no sábado (4), às 20h.

Leia também:
Adaptação de espetáculo de Ariano Suassuna tem pré-estreia no Cais do Sertão
Exposição homenageia os 90 anos de Ariano Suassuna
Livros inéditos e musical para celebrar os 90 anos de Ariano


A idealização e produção do espetáculo são da Sarau Agência, comandada por Andrea Alves, que uniu a trupe de atores da Barca a um trio de artistas paraibanos: Bráulio Tavares (dramaturgia), Luiz Carlos Vasconcelos (direção geral) e Chico César (direção musical).

"Nesse momento em que nos juntamos para reverenciar Ariano, é como se a Paraíba fosse o centro do mundo. Ficamos muito felizes em poder apresentar ao público de todo o Brasil o que é um musical visto pelo viés da nossa cultura", comemora Luiz Carlos.

"Antes mesmo de entrar nesse projeto, eu já era 'arriado os quatro pneus' por Ariano e pela defesa que ele fez do Nordeste, apoiado no conhecimento amplo que tinha da cultura universal", confessa o encenador.




O elenco é formado por sete atores, entre eles, o pernambucano Eduardo Rios. Antes de subir ao palco, os intérpretes passaram por um período de preparação que envolveu oficinas circenses e visitas a lugares como a casa de Ariano, no Recife, e sua fazenda em Taperoá, na Paraíba. Foi durante os ensaios que os textos e as canções do espetáculo ganharam forma.

O enredo da peça é construído a partir da história de um circo itinerante. A equipe viaja pelo Sertão, em busca da Vila de Taperoá, onde participarão de uma festa em homenagem a Suassuna. No entanto, eles se perdem na estrada e acabam se aproximando do vale O Soturno, local ocupado por retirantes da seca e dominado por duas famílias rivais.




"É uma trama inédita, mas ninguém tem dúvidas de quem estamos falando. Conseguimos condensar todo esse universo, fazendo um garimpo de todas as obras e personagens do autor, além das referências que foram fundamentais na sua formação, como Shakespeare e Cervantes", conta Luiz Carlos Vasconcelos.

A figura do palhaço, representada em muitos dos textos do escritor como mestre de cerimônias, norteia a encenação. "Ariano era palhaço na sua essência, porque era sincero em tudo o que ele dizia ou escrevia", afirma.

Serviço
Espetáculo "Suassuna - O auto do Reino do Sol"
Sexta-feira (3), às 21h, e sábado (4), às 20h
Teatro Guararapes (Centro de Convenções - Av. Prof. Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho, Olinda)
R$ 104 (plateia) e R$ 50 (balcão)
Informações: (81) 3182-8020

Veja também

Acusado de canibalismo, Armie Hammer disse que quase foi esfaqueado durante sexo
Famosos

Acusado de canibalismo, Armie Hammer disse que quase foi esfaqueado durante sexo

Miró e 'Consciência Negra': temas explorados nos poemas de Wilson Araújo
Poesia

Miró e 'Consciência Negra': temas explorados nos poemas de Wilson Araújo