Espetáculo "Se eu Fosse Iracema" chega ao Recife nesta segunda

A ação faz parte do projeto Palco Giratório, promovido pelo Sesc Brasil, pensando na divulgação das artes cênicas brasileiras

O espetáculo é produzido pelo  1Comum Coletivo, do Rio de JaneiroO espetáculo é produzido pelo 1Comum Coletivo, do Rio de Janeiro - Foto: Imatra/Divulgação

Pensando em promover debate e destaque para as temáticas indígenas, o projeto Palco Giratório, promovido pelo Sesc Brasil, apresenta nesta segunda (02), às 19h30, no Teatro Marco Camarotti, o espetáculo "Se eu Fosse Iracema", produzido pelo 1Comum Coletivo, do Rio de Janeiro. As entradas custam
R$ 10, para comerciário e dependente, e R$ 20 para o público geral. O espetáculo é indicado para pessoas com idade superior a 14 anos.

Em 2016, a ideia do espetáculo surgiu a partir da carta assinada pelos povos Guarani e Kaiowá pedindo o decreto de sua morte coletiva. A personagem, interpretada por Adassa Martins, lança o olhar sobre os direitos, etnias, rituais e crenças daquelas pessoas. “Se eu fosse Iracema chega aqui como forma de somar outros projetos que estamos atuando. O nosso projeto Palco Giratório tem dito uma ótima aceitação aqui em Pernambuco. É de grande pertinência a temática. Ainda mais nos tempos de desvalorização indígena. A arte sempre será uma forma política”, conta a professora do Sesc Pernambuco Patrícia Lima.

Leia também:
De volta ao Recife, Ney Matogrosso nega mensagem política em show: 'Eu sou o discurso'
Christiane Torloni traz espetáculo premiado sobre Maria Callas para o Recife

Além do espetáculo, o coletivo irá promover, no dia 03 de setembro, a oficina "Dramaturgia da luz e o iluminador como artista criador", das 14h às 18h, no mesmo local e com o mesmo valor do espetáculo. A ação será ministrada por Fernando Nicolau, diretor da peça, e tem como objetivo compartilhar o processo de criação com participantes. Encerrando a passagem do grupo pelo Recife, à noite será realizado, dentro do "Pensamento Giratório", debate sobre "Processos artísticos, pluralidade e coexistências", mediado por Fred Nascimento (Grupo Totem), tendo como discussão o papel e o limite dos artistas.

Palco Girátorio
Projeto realizado pelo Sesc desde 1998, visa a valorização do cenário cultural brasileiro. Dessa forma, realiza a difusão e intercâmbio das Artes Cênicas em todo o Brasil. O projeto patrocina e leva a circulação de espetáculos dos mais variados gêneros, em todos os estados brasileiros.


Serviço
Palco Giratório
Espetáculo “Se eu fosse Iracema”
Quando: Segunda (02), às 19h30
Valor: R$ 20 e R$ 10

Veja também

Drica Moraes diz que criou relação com homem que doou medula para ela: 'Meu oitavo irmão'
famosos

Drica Moraes diz que criou relação com homem que doou medula para ela: 'Meu oitavo irmão'

Boom de novos assinantes que Netflix vivenciou na pandemia perde força
streaming

Boom de novos assinantes que Netflix vivenciou na pandemia perde força