SHOW DE MADONNA

Família busca por mineiro que desapareceu após ir ao Rio de Janeiro ver Madonna

Bráulio Alex Rosa, de 35 anos, mora com a mãe, de 72, em Pedro Leopoldo, Minas Gerais; último contato com a parentes foi na sexta-feira, antes do show

Bráulio Alex Rosa, de 35 anos, está desaparecido desde o dia 3 de maio Bráulio Alex Rosa, de 35 anos, está desaparecido desde o dia 3 de maio  - Foto: Arquivo pessoal

Na véspera do show da Madonna, em Copacabana, 3 de maio, Bráulio Alex Rosa, de 35 anos, fez o último contato com sua família, que mora em Pedro Leopoldo, em Minas Gerais.

Ao Globo eles contaram que, o homem faz uso contínuo de remédios controlados. Com a repercussão do show, Bráulio insistiu que tinha que ir para o Rio de Janeiro. Sem que a família soubesse, ele conseguiu pegar um ônibus e desapareceu ao chegar na cidade.

O irmão Blinio Vitor Rosa, de 32 anos, fez o último contato com Bráulio às 17h na sexta-feira, véspera do show. Por um aplicativo de mensagem, ele enviou uma foto de um ônibus e avisou que tinha chegado ao Rio de Janeiro.

— Com a repercussão do show, ele cismou que precisava ir ao Rio para assistir. Ele fugiu e foi sem que a gente soubesse — conta o irmão. Bráulio mora com a mãe, de 72 anos, no interior de Minas Gerais.

Além de enviar a foto, Bráulio compartilhou sua localização em tempo real. A última marcação do mapa mostra que Bráulio ainda estava na Avenida Brasil, em Juiz de Fora, ainda a caminho do Rio.

Depois de não conseguir mais contato com o rapaz, a família entrou em contato com parentes que moram no Rio. Desde então, a prima de segundo grau Tainá Cavalcanti, de 34 anos, e um amigo passaram a ajudar nas buscas.

— Conseguimos informações de que ele teria dado entrada no Hospital Municipal Souza Aguiar, no dia 9 de maio, socorrido pelo Corpo de Bombeiros. Uma funcionária nos disse que ele ficou lá de 8h da manhã até por volta de 12h e depois foi liberado. Ele teria sido encontrado pelos bombeiros dentro do Rio Maracanã, na Tijuca — afirma Tainá, que mora em Campo Grande. Um homem teria o visto dentro do rio e solicitou socorro.
 

Ainda segundo os relatos da família, a funcionária teria contado que, no hospital, Bráulio disse ter sido assaltado e por isso não tinha mais documentos e nem celular. Ele não especificou se caiu ou se foi jogado no rio. Mas informou que tinha transtorno de bipolaridade e que era de Minas Gerais.

— Mesmo assim em poucas horas eles liberaram ele, essa foi a última informação oficial que conseguimos. Depois disso só alguns relatos de pessoas que disseram ter visto ele ao redor da rodoviária Novo Rio, todo sujo e confuso, pedindo para pegar um ônibus para Minas Gerais. Ele ainda teria dormido na noite do dia 10 em frente a rodoviária, mas fomos lá e não o encontramos nos dias seguintes — relata a publicitária.

A família registrou boletim de ocorrência online no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. No registro, o descrevem como um homem branco, com estatura entre 1,70 e 1,80 metros de altura, com uma cicatriz de queimadura na panturrilha direita e tatuagens de um lobo no antebraço direito e o desenho de um olho no ombro direito.

Ele foi visto pela última vez com camisa polo de listras grossas branca e vermelha e uma bermuda jeans, tênis e com um casaco azul amarrado no corpo.

Procurada pelo GLOBO, a Secretaria Municipal de Saúde ainda não confirmou se Bráulio deu entrada no Hospital Municipal Souza Aguiar. O Corpo de Bombeiros também ainda não deu informações sobre a possível ocorrência de resgate do mineiro na Tijuca.

Veja também

Cantor sertanejo morre em acidente de carro após assinar primeiro contrato com gravadora
Acidente

Cantor sertanejo morre em acidente de carro após assinar primeiro contrato com gravadora

Susana Vieira lança biografia e revela qual o maior papel da carreira
televisão

Susana Vieira lança biografia e revela qual o maior papel da carreira

Newsletter