Festival de literatura celebra a eloquência dos versos nordestinos

O evento homenageia o poeta Chico Pedrosa e conta com oficinas, feira de livros e apresentações culturais que valorizam a cultura popular do nordeste

Chico Pedrosa, poeta popular homenageado no festival. A ilustração do evento é uma xilogravura exclusiva do artista J. Borges. Chico Pedrosa, poeta popular homenageado no festival. A ilustração do evento é uma xilogravura exclusiva do artista J. Borges.  - Foto: Heloise Barreiro/ Portal FolhaPE

Poética, cordel, xilogravura e muita resistência nordestina que se manifesta através da cultura popular. O Nordeste celebrado em versos eloquentes é tema do 17º Festival Recifense de Literatura, que se inicia na próxima sexta-feira (30) na avenida Rio Branco, no Bairro do Recife, e se estende pelo fim de semana. Com o mote “A Letra e a Voz”, a edição do festival visibiliza toda a arte que permeia o universo da poesia popular, como as próprias poesias, cordéis, xilogravuras e os repentes. O evento é aberto ao público e gratuito, contando com oficinas, apresentações culturais, rodas de conversas e feiras de livros.

Neste ano, a programação do festival homenageia o poeta popular e cordelista paraibano Chico Pedrosa, figura importante para compreender as complexidades da cultura popular nordestina. Apesar de ter nascido em Guarabira, no brejo paraibano, o artista vive há mais de 30 anos em Pernambuco, motivo pelo qual se intitula “paraibucano”, uma mistura que evidencia o amor pelas duas naturalidades.

Leia também:
'A Vida Invisível' é indicado pelo Brasil para disputar vaga no Oscar 2020
Rede Sesc de Leituras inicia circuito em unidades do Recife e RMR
'Musicistas mulheres não veem suas histórias contadas em livros'


Para Chico Pedrosa, a homenagem foi uma surpresa de aquecer o coração. “Para mim, é uma alegria enorme, eu nem sabia dessa homenagem e vou ter isso pelo resto da minha vida como um prêmio de Deus”, conta. Para ele, que enxerga a poesia como extraída dos sonhos, o festival é um ambiente de felicidade e recordações do que já viveu. “Trata-se de a gente encontrar várias coisas que estão longe da nossa mente mas aflora ali, naquele lugar”, completa.

A abertura do evento acontece na noite desta sexta (30), com uma mesa de diálogo conduzida pelo homenageado na companhia do repentista popular Edmilson Ferreira e o xilogravurista J. Borges, além da presença da secretária de Cultura do Recife, Leda Alves. Já o sábado (31), segundo dia de programação, é marcado por oficinas de poesia popular, xilogravura e de produção de cordel. Os interessados podem se inscrever de forma gratuita através do e-mail [email protected], basta informar o nome completo, idade, formação/ocupação e a oficina pretendida.

De acordo com Leda Alves, o festival de literatura chega com muita paixão e é tão grande quanto a poesia. “Nós é que somos pequenos diante da responsabilidade que assumimos, a gente tem esse apetite enorme em cima deste festival porque o conteúdo dele é muito bom - falar do poeta é falar do criador”, afirma. Para a secretária de Cultura, o evento permite à população ter contato com os artista sertanejos. “A gente cumpre com a nossa responsabilidade com a cultura que é fazê-los conhecer e fazê-los conhecidos porque sabemos que não é fácil ir ao Sertão”.

Ainda no domingo (1º), o último dia do evento conta com um projeto integrado, o Recife Antigo de Coração, que acontece das 9h às 18h30 em palco montado no Marco Zero. Na ocasião, o público pode aproveitar as apresentações de artistas como Carlinhos Monteverde e Vinícius Barros. Na Rua da Moeda, o palco Dançando na Rua convida grupos de dança para demonstrações de diferentes estilo, das 15h às 19h.

Confira programação completa:


Sexta-feira (30/08)

18h - abertura oficial
18h30 - Um Garimpeiro de Sonhos (A Letra e a Voz de Chico Pedrosa)
19 - Mas o que é mesmo poesia popular? (Bate-papo com Edmilson Ferreira, J. Borges e Maria Alice Amorim)
20h30 - Fábrica de Xilo - Apresentação do Grupo Matulão de Dança

Sábado (31/08)

14h às 17h - Oficinas no Paço do Frevo
Destrinchando as tripas da poesia, com Wilson Freire
Rabiscar imagens na madeira, oficina de xilogravura com Marcelo Soares
Cordel em cada ato, produção de cordel com Felipe Junior
18h - A poesia e sua ancestralidade (bate-papo com Chico Pedrosa, Bia Marinho, Jorge Filó e Mariana Teles)
20h - Glosas de Pé-de-Parede só com mulheres (Dayane Rocha, Elenilda Amaral, Erivoneide Amaral e Francisca Araújo)

Domingo (01/08)

À partir das 10h - Festa do Livro
14h - Fábrica de Xilo com a Quadrilha Raio de Sol
15h - Cordel Animado, com Mariane e Mila Bigio
16h - Gêneros e gerações numa cantoria de repente, com Fabiane Ribeiro e Oliveira de Panelas
17h - Oferendar, com Davi, Sarah e Flávio Leandro. Participação especial de Chico Pedrosa.

Veja também

Andréia Sadi anuncia gravidez de gêmeos na Globonews; André Rizek confirma na SporTV
Anúncio

Andréia Sadi anuncia gravidez de gêmeos na Globonews; André Rizek confirma na SporTV

Na 12ª edição de A fazenda, votação da roça é suspensa após suposto erro na Prova do Fazendeiro
A fazenda

Na 12ª edição de A fazenda, votação da roça é suspensa após suposto erro na Prova do Fazendeiro