Filme 'Maria Madalena' traz história da fiel seguidora de Jesus Cristo

Tida como pecadora, personagem bíblica atualmente foi celebrada pelo papa como 'uma autêntica evangelizadora'

Rooney Mara interpreta Maria MadalenaRooney Mara interpreta Maria Madalena - Foto: Universal Pictures/Divulgação

SÃO PAULO (Folhapress) - Estreia nesta quinta-feira (15) nos cinemas o filme bíblico "Maria Madalena", dirigido por Garth Davis e que mostra a vida sofrida de Maria Madalena (Rooney Mara), considerada por séculos prostituta e pecadora. O longa joga luz sobre a história da personagem, que enfrentou preconceito, e tenta afastá-la de polêmicas. Em 2016, o papa Francisco criou uma celebração para santa Maria Madalena, declarando 22 de julho o seu dia. Ela foi descrita como "um exemplo de verdadeira e autêntica evangelizadora", que anunciou "a boa notícia da ressurreição do Senhor".

O filme começa abordando a história de vida de uma das figuras mais enigmáticas da Bíblia. Maria Madalena contrariou a própria família, que queria lhe arranjar um casamento, para seguir próxima aos fiéis e a Jesus, interpretado pelo ator Joaquin Phoenix - curiosamente, o astro é o namorado dela na vida real. Na produção que chega aos cinemas, a relação entre Maria Madalena e Jesus é mostrada sempre com laços de amizade.



Cristo é sempre retratado a partir do ponto de vista da protagonista, que, na época, sofria represálias por exercer liderança e demonstrar empoderamento feminino, tido pelos homens daquele tempo como comportamento não apropriado às mulheres. Foi por isso que recebeu a alcunha de prostituta arrependida, estigma que seguiu com ela por muitos séculos.

Na história, Madalena é acusada de ter demônios, o que faz com que outros apóstolos tentem tirá-la do caminho da peregrinação. Porém, ela segue firme e, fiel, fica ao lado de Jesus no momento de sua morte. É a primeira testemunha da ressurreição.

Preconceito
Segundo historiadores e especialistas em religião, a figura de Maria Madalena, ainda nos dias de hoje, é julgada e sofre com preconceito, por conta de tudo o que sempre foi dito a respeito de sua vida. Nem mesmo a consideração do papa Francisco, em 2016, que a reconheceu como grande evangelizadora, foi capaz de melhorar sua imagem entre os católicos.

"Ela passou séculos sendo retratada como prostituta, pelo cinema e pela arte em geral. Em pinturas usavam as cores amarela e verde para simbolizar a vulgaridade dela. Então, filmes que tentam resgatar a imagem de Maria Madalena têm muita relevância no sentido de mudar a cabeça das pessoas", analisa Lidice Meyer Pinto Ribeiro, professora de antropologia do Mackenzie.

Leia também:
Crítica: 'Pantera Negra' representa momento simbólico no cinema
Estreia "Trama fantasma", novo filme de Paul Thomas Anderson: impactante e hipnótico
'A Forma da Água' se revela uma metáfora sobre ausências e afetos

De acordo com a pesquisadora da Sociedade Brasileira de Teologia e Ciências da Religião Wilma Steagall De Tommaso, é bom ter filmes como "Maria Madalena", que afastam a imagem de pecadora e prostituta, mostrada em outros longas. "O cinema é diversão também. Se fosse colocado tudo como está nos evangelhos, não ficaria legal. Entendo que a história deva ser romanceada, mas fico feliz que esse próximo longa fale a realidade sobre a santa", finaliza a pesquisadora.

Veja também

Novela 'Brega & Chique' entra na programação do Globoplay
Streaming

Novela 'Brega & Chique' entra na programação do Globoplay

Teatro Beberibe é liberado para eventos
Pandemia

Teatro Beberibe é liberado para eventos