Filme protagonizado por Paulo Betti chega aos cinemas no final do mês de agosto

Longa dirigido por Alain Fresnoit, 'Uma Noite Não é Nada' estreia no próximo dia 22 de agosto

O filme nacional foi selecionado na última edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e no Festival do RioO filme nacional foi selecionado na última edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e no Festival do Rio - Foto: Divulgação

“Os nomes dos personagens do filme 'Uma Noite Não é Nada' são relacionados aos meses do ano. Isso já é uma pista sobre a questão da passagem do tempo, que é elemento importante para composição da trama”, diz o diretor do filme, Alain Fresnoit, ao ser questionado sobre o componente chave do filme nacional, que estreia nos cinemas no dia 22 de agosto. A associação com calendário é feita a partir do tempo de vida do personagem protagonizado por Paulo Betti (Agostinho) na narrativa.

Luiza Branca (Márcia) e Claudia Mello (Januária) fecham o trio protagonista do trabalho, que relata a história de um professor de física, Agostinho, e do seu novo relacionamento com sua aluna, Márcia, mulher bem mais nova que ele. Aparentemente romântico e encantador o relacionamento entre os dois começa a se intensificar, colocando o casamento do professor com Januária em risco. No desenvolvimento do longa, o professor descobre que a jovem é soropositiva e que também possui conturbados distúrbios psicológicos. Em meio a tudo isso, também se desenha uma atitude perversa de um "homem de bem", que, ao não se sentir satisfeito sexualmente, abusa da amante.

A história se passa na São Paulo de 1980 e destaca temas que fizeram parte fortemente do contexto da época, a exemplo da depressão e HIV. Pela segunda vez atuando em filme de Alain Fresnoit, o ator Paulo Betti, em entrevista à Folha de Pernambuco, definiu a abordagem desses temas delicados de forma amena com a equipe: “Entre os autores e a produção, foi tudo produzido de forma harmoniosa. Respeitando os nossos limites”. Segundo Betti, facilitcou o trabalho o bom alinhamento com a equipe. "Pra mim, foi um produto bem detalhista e elaborado passo a passo. Alan é um diretor que faz os planos todos estudados com antecedência", destacou.

Leia também:
'Minha Vida em Marte', com Mônica Martelli, volta ao Recife em outubro

PopStar: 3ª temporada terá Marcelo Serrado, Nany People e Jackson Follmann 


De acordo com diretor francês radicado no Brasil Alain Fresnoit (“Família Vende Tudo” e “Desmundo”), a história irá despertar a curiosidade principalmente por levantar a possibilidade dos vários tipos de amor, a exemplo da atitude de Januária ao descobrir o romance do marido com a aluna. “No começo do filme, você não se dá conta da importância de Januária. Ela vai crescendo na mesma intensidade do romance de Agostinho e Márcia. A compaixão com o fim da vida do marido. O entendimento sobre as maneiras de amar e a compreensão de que cada um ama de sua maneira, claro, dentro de suas circunstâncias”.

Veja também

Mercúrio nos religa ao Todo

Mercúrio nos religa ao Todo

Com Covid, Flavia Alessandra diz que já passou por fase crítica da doença
Famosos

Com Covid, Flavia Alessandra diz que já passou por fase crítica da doença