rio de janeiro

Gilberto Gil, Maitê Proença, Narcisa: vizinhos famosos da socialite que teria ficado sob cárcere

Edifício Chopin, um dos mais conhecidos na orla de Copacabana, é conhecido por moradores ilustres e festas na virada do ano

Maitê Proença, Gilberto Gil e a esposa, Flora, e Narcisa (da esq. à dir.)Maitê Proença, Gilberto Gil e a esposa, Flora, e Narcisa (da esq. à dir.) - Foto: X/Reprodução

Um dos edifícios mais emblemáticos da orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o condomínio Chopin é frequentemente lembrado em razão de ser o endereço de moradores famosos e por ser palco de festas na virado do ano. No último fim de semana, o prédio voltou, entretanto, a ser muito comentado por ser apontado como o cenário onde a socialite Regina Gonçalves, de 88 anos, teria ficado sob cárcere privado, segundo relatos de vizinhos.

O Chopin — que tem 12 andares com 60 apartamentos de luxo, alguns, avaliados em mais de R$ 8 milhões — é endereço para celebridades como a socialite Narcisa Tamborindeguy e sua irmã, Alice Tamborindeguy, o cantor Gilberto Gil e a jornalista Liliana Rodrigues, entre outros.

Narcisa, por exemplo, costuma gravar vídeos olhando e interagindo com hóspedes no famoso prédio vizinho, o hotel Copacabana Palace.

A atriz Maitê Proença, que também residia no edifício, anunciou, em março deste ano, que colocou o seu apartamento novamente à venda. À Revista Ela, do Globo, ela afirma buscar um espaço cercado de natureza para “investir numa terra com galinhas, água limpa e horta para minhas netas viverem uma vida mais pé no chão".

Ela já havia tentado vendê-lo em agosto de 2023. O apartamento no edifício, diz a atriz em um vídeo publicado no ano passado no Instagram, tem uma boa iluminação, “dos cômodos à área de serviço”.

Gilberto Gil e a esposa, Flora, também residem no local. Eles se mudaram para o prédio em 2020 e agora residem em um apartamento com 344 m², de acordo com a revista Casa e Jardim. Assim como para Maitê, a iluminação na casa também é um ponto positivo para o cantor baiano.

Desaparecimento da socialite
O Chopin, há uns meses, teria sido o cenário da denúncia de cárcere privado pela mais antiga moradora, a socialite Regina Gonçalves, de 88 anos. Dona de dois apartamentos no local, com vista para o mar, ela teria sido enganada por um motorista, segundo relatos de vizinhos que se mobilizam para ter informações sobre seu paradeiro.

Viúva há 30 anos do empresário Nestor Gonçalves, Regina é tem uma grande fortuna, com imóveis espalhados pelo Rio, joias e outros bens. Desde o início deste ano, contudo, vizinhos e conhecidos têm sentido falta de Regina. Segundo um amigo próximo, ela teria sofrido um golpe, sendo mantida em suposto cárcere privado por um motorista. Ele conta que, atualmente, está se recuperando do trauma ao lado da família.

O empresário João Chamarelli, que disse estar autorizado a falar pela família de Regina, afirmou que a socialite fora vítima de um golpe do motorista, que a mantinha em cárcere privado, mas ela conseguiu escapar. Segundo Chamarelli, o caso foi registrado na polícia e o inquérito corre em segredo de justiça.

— Ela está se recuperando gradativamente, ficando bem disposta. Está com a família, na casa do irmão em Copacabana, com a cunhada e o sobrinho. Ela havia perdido muitos quilos. Conseguiu fugir dele no Edifício Chopin, por um descuido. Ele se distraiu, ela desceu, conseguiu abrir o elevador e fugiu para a casa desse irmão em Copacabana — contou Chamarelli.

Veja também

Cantor sertanejo morre em acidente de carro após assinar primeiro contrato com gravadora
Acidente

Cantor sertanejo morre em acidente de carro após assinar primeiro contrato com gravadora

Susana Vieira lança biografia e revela qual o maior papel da carreira
televisão

Susana Vieira lança biografia e revela qual o maior papel da carreira

Newsletter