A-A+

Helder Ferrer revela nuances da natureza em exposição fotográfica

Exposição 'Caos - Fertilidade e Mistérios', do fotógrafo Helder Ferrer, revela as cores e texturas da Mata Atlântica para a Arte Plural Galeria a partir desta quarta-feira (17)

'Mistério 1' - pigmento mineral sobre papel'Mistério 1' - pigmento mineral sobre papel - Foto: Divulgação

Do Caos nasce o novo; é nele que as possibilidades se abrem. A partir do assombramento diante da ordem peculiar da natureza, o fotógrafo Helder Ferrer produziu uma longa série de imagens retratando a vitalidade e o ciclo sem fim de renovação da Mata Atlântica de Pernambuco. Das quase duas mil fotos realizadas, ele escolheu 22 que, a partir desta quarta-feira (17), vão estar expostas no salão principal da Arte Plural Galeria (APG), no bairro do Recife.

Com passagem pelo jornalismo, pela moda e pela publicidade, ao longo de quase três décadas de profissão as lentes de Helder Ferrer já registraram os mais variados temas. A floresta, segundo ele, passou a ser um interesse perene. "Pretendo periodicamente percorrer e registrar esse espaço. É um trabalho de observação que me dá muito prazer, um exercício de convivência com esse grande organismo vivo", revela.

A descoberta do espaço surgiu há cerca de dois anos, quando foi morar em Aldeia, em Camaragibe, na companhia da esposa, a historiadora Bartira Ferraz - que tem acompanhado o fotógrafo nas aventuras mata adentro, descortinando paisagens, ouvindo o som e o silêncio da floresta e descobrindo detalhes da flora e da fauna. Na região onde o casal mora, fica a maior reserva de Mata Atlântica de Pernambuco.

"A mata é muito teatral, dramática. Cheia de sombras, de densidade e tons escuros. Às 16h já não dá para ver mais nada, dentro dela", relata Helder Ferrer, que fotografou buscando focos de luz que desenham narrativas. A própria cor das folhas é um dificultador do processo: "o verde é uma cor muito complexa para registrar, especialmente no que diz respeito à impressão", destaca.

Exposição de Helder Ferrer fica em cartaz até novembro, na Arte Plural

Exposição de Helder Ferrer fica em cartaz até novembro, na Arte Plural - Crédito: Rafael Furtado / Folha de Pernambuco

Utilizando filtros de densidade neutra, possibilitando a captação do ambiente ao longo de três, quatro minutos, Helder conseguiu assimilar o próprio desenho da natureza, com uma fluência de movimentos impressionantes. Os registros, que encantam pela delicadeza e sobriedade, foram subdivididos em quatro grandes temas: fluidez, morte, vida e mistério. "Encontrei um universo incrível, cheio de magia e fertilidade", afirma.

Entre as imagens que cativam o olhar, destacam-se "Mistério 1", em que o reflexo da luz sobre as folhas lembra uma pintura de traços livres, "Caos Líquido 2", em que o movimento da água cria um pano de fundo dourado e abstrato, e "Folha", onde as plantas secas lembram casulos e remetem a um casulo ou a um sarcófago, reforçando a ideia de que a morte e a vida são momentos indissociáveis de um mesmo ciclo.

"Cada folha que cai é um indício do fim e a promessa de um recomeço", aponta Helder. A série foi produzida com apoio do Fórum Social de Aldeia, e o fotógrafo espera que seus registros ajudem a divulgar a importância de se preservar esse ecossistema. "Esta é uma exposição pela vida das reservas de mata, suas falas e múltiplas interpretações", resume.


Serviço:
Exposição de fotografias "Caos - Fertilidade e Mistérios", de Helder Ferrer
Onde: Arte Plural Galeria - rua da Moeda, 140, Bairro do Recife - fone (81) 3424-4431
Quando: de 17 de outubro a 21 de novembro
Horário de visitação: 3ª a 6ª feira, das 13h às 19h - sábados, das 16h às 20h
Entrada gratuita

Veja também

Dayane Mello dá sua versão sobre o ocorrido com Nego do Borel em 'A Fazenda'
Televisão

Dayane Mello dá sua versão sobre o ocorrido com Nego do Borel em 'A Fazenda'

Demonização de Cosme e Damião por evangélicos dá corda para intolerância religiosa
Religião

Demonização de Cosme e Damião por evangélicos dá corda para intolerância religiosa