HQs do norte-americano Daniel Crowes ironizam a melancolia do ambiente familiar

Novo trabalho do quadrinista, 'Paciência' chega às livrarias junto a edição especial de 20 anos de 'Ghost World'

Eventos traumáticos e fascinantes permeiam o perfil dos personagensEventos traumáticos e fascinantes permeiam o perfil dos personagens - Foto: Divulgação

Os personagens dos quadrinhos do norte-americano Daniel Clowes parecem movidos por um sentido agudo de emoção, gente que costuma com frequência estar do lado oposto da sorte e do acaso, vítimas frustradas de um destino excessivamente bruto e impiedoso. Pessoas que perdem tudo e na tentativa de se reerguer, descobrem que existem níveis inferiores depois do fundo do poço.

Parece estar entre as marcas do autor a criação de um ambiente vagamente familiar e melancólico, uma visão irônica e também violenta da existência. Todo esse sentimento guia a narrativa de "Paciência", novo trabalho de Clowes depois dos elogiados "Wilson" (2010) e "The Death-Ray" (2011, ainda inédito no Brasil). A HQ chega às livrarias junto a uma edição especial de 20 anos de "Ghost World".

Leia também:
HQ 'O Livro dos Coelhos Suicidas' alinha o adorável ao adulto
Anti-heroína da HQ "Nimona" questiona o papel do vilão e dos rótulos
Um novo olhar sobre Palmares em 'Angola Janga'

"Paciência" narra a relação entre Jack e a personagem do título. Eles são casados e ela descobre que está grávida. Certo dia, Jack volta para casa decidido a contar verdades que permaneceram em silêncio, por medo ou vergonha. Ao entrar, encontra Paciência morta, pescoço torcido, olhar turvo. O texto de Clowes sugere todo o desespero do personagem contido em frases curtas e poucas imagens expressivas, uma sequência de quadrinhos que define toda a dor possível.

Se em obras anteriores Clowes demonstrava certo interesse pelo mistério e por eventos que permaneciam sem definições evidentes, frases soltas, imagens e diálogos partidos, em "Paciência" o autor parece se debruçar com mais vontade sobre o enredo, fechando as pontas abertas ao longo da história. É um direcionamento que pende para um lado emocional, para o amor que move os personagens.

É notável a maneira eloquente como Clowes cria personagens e situações dramáticas envolventes. Não apenas a morte inicial e todo o drama sequente, mas também a maneira gradual como ele constrói diferentes perfis emocionais a partir de uma série de eventos traumáticos e fascinantes; agressões do cotidiano que interferem no processo de amadurecimento e geram adultos fragilizados e incapazes de lidar com crises existenciais.

Parece essa a força da HQ: eventos de alta gravidade emocional em uma narrativa que pertence ao gênero ficção científica, com viagens no tempo e uma noção delirante de existencialismo, personagens em processo de busca e entendimento.

Edição especial

A editora Nemo apresenta também uma edição especial de "Ghost World", que ano passado completou 20 anos de publicação. A HQ, que se tornou um sucesso de público e crítica ao ponto de ser reverenciada como uma obra cult, fala sobre a amizade de duas adolescentes: Enid e Rebecca. Ao terminarem o ensino médio, as duas iniciam o longo processo de compreender as complexidades da vida adulta. É possível ver na obra as bases do estilo que Clowes iria aprimorar ao longo de sua carreira: um humor cínico e uma sequência criativa e inesperada de eventos que mudam a trajetória dos personagens.

Serviço:

"Paciência" (180 páginas, R$ 64,90) e "Ghost World" (144 páginas, R$ 54,90), de Daniel Clowes
Editora Nemo

Veja também

Egito lança tour virtual de monumentos
Folha Turismo

Egito lança tour virtual de monumentos

Lives da semana: confira a programação
Lives

Lives da semana: confira a programação