HQs do norte-americano Daniel Crowes ironizam a melancolia do ambiente familiar

Novo trabalho do quadrinista, 'Paciência' chega às livrarias junto a edição especial de 20 anos de 'Ghost World'

Eventos traumáticos e fascinantes permeiam o perfil dos personagensEventos traumáticos e fascinantes permeiam o perfil dos personagens - Foto: Divulgação

Os personagens dos quadrinhos do norte-americano Daniel Clowes parecem movidos por um sentido agudo de emoção, gente que costuma com frequência estar do lado oposto da sorte e do acaso, vítimas frustradas de um destino excessivamente bruto e impiedoso. Pessoas que perdem tudo e na tentativa de se reerguer, descobrem que existem níveis inferiores depois do fundo do poço.

Parece estar entre as marcas do autor a criação de um ambiente vagamente familiar e melancólico, uma visão irônica e também violenta da existência. Todo esse sentimento guia a narrativa de "Paciência", novo trabalho de Clowes depois dos elogiados "Wilson" (2010) e "The Death-Ray" (2011, ainda inédito no Brasil). A HQ chega às livrarias junto a uma edição especial de 20 anos de "Ghost World".

Leia também:
HQ 'O Livro dos Coelhos Suicidas' alinha o adorável ao adulto
Anti-heroína da HQ "Nimona" questiona o papel do vilão e dos rótulos
Um novo olhar sobre Palmares em 'Angola Janga'

"Paciência" narra a relação entre Jack e a personagem do título. Eles são casados e ela descobre que está grávida. Certo dia, Jack volta para casa decidido a contar verdades que permaneceram em silêncio, por medo ou vergonha. Ao entrar, encontra Paciência morta, pescoço torcido, olhar turvo. O texto de Clowes sugere todo o desespero do personagem contido em frases curtas e poucas imagens expressivas, uma sequência de quadrinhos que define toda a dor possível.

Se em obras anteriores Clowes demonstrava certo interesse pelo mistério e por eventos que permaneciam sem definições evidentes, frases soltas, imagens e diálogos partidos, em "Paciência" o autor parece se debruçar com mais vontade sobre o enredo, fechando as pontas abertas ao longo da história. É um direcionamento que pende para um lado emocional, para o amor que move os personagens.

É notável a maneira eloquente como Clowes cria personagens e situações dramáticas envolventes. Não apenas a morte inicial e todo o drama sequente, mas também a maneira gradual como ele constrói diferentes perfis emocionais a partir de uma série de eventos traumáticos e fascinantes; agressões do cotidiano que interferem no processo de amadurecimento e geram adultos fragilizados e incapazes de lidar com crises existenciais.

Parece essa a força da HQ: eventos de alta gravidade emocional em uma narrativa que pertence ao gênero ficção científica, com viagens no tempo e uma noção delirante de existencialismo, personagens em processo de busca e entendimento.

Edição especial

A editora Nemo apresenta também uma edição especial de "Ghost World", que ano passado completou 20 anos de publicação. A HQ, que se tornou um sucesso de público e crítica ao ponto de ser reverenciada como uma obra cult, fala sobre a amizade de duas adolescentes: Enid e Rebecca. Ao terminarem o ensino médio, as duas iniciam o longo processo de compreender as complexidades da vida adulta. É possível ver na obra as bases do estilo que Clowes iria aprimorar ao longo de sua carreira: um humor cínico e uma sequência criativa e inesperada de eventos que mudam a trajetória dos personagens.

Serviço:

"Paciência" (180 páginas, R$ 64,90) e "Ghost World" (144 páginas, R$ 54,90), de Daniel Clowes
Editora Nemo

Veja também

Ex de Dudu diz que teve caso com Gusttavo Lima quando era casado
famosos

Ex de Dudu diz que teve caso com Gusttavo Lima quando era casado

Programa do Ratinho volta a ter plateia de 30 pessoas testadas para Covid-19
televisão

Programa do Ratinho volta a ter plateia de 30 pessoas testadas para Covid-19