Instituto Ricardo Brennand traz exposição com fotos de Maio de 1968

Exposição "No Coração de Maio de 68" reúne registros do fotógrafo Philippe Gras e dois documentários. A mostra fica até 22 de julho no Instituto Ricardo Brennand

Na noite de 24 de maio, o fogo torna-se uma das armas dos manifestantes do Maio de 1968 francêsNa noite de 24 de maio, o fogo torna-se uma das armas dos manifestantes do Maio de 1968 francês - Foto: Philippe Gras

Um conjunto de 43 fotografias, tiradas pelo fotógrafo francês Philippe Gras, compõem a exposição No Coração de Maio de 68”, que ocupa a Pinacoteca do Instituto Ricardo Brennand (IRB), na Várzea. Em cartaz até 22 de julho, o segundo módulo da mostra conta com uma série de documentários intitulada “Maio de 68, uma estranha primavera”, do historiador e cineasta Dominique Beaux. A entrada custa R$ 30 ou R$ 15 (meia-entrada), com visitas de 13h às 17h de terça-feira a domingo.

A importância do evento para a história mundial é inquestionável, e o adido cultural do Consulado Geral da França no Recife, Guillaume Ernst, defende sua relevância. "Foi um evento que teve uma certa espontaneidade e demonstrava uma necessidade de mudança radical em alguns aspectos da sociedade", diz. "Muita coisa mudou depois de 68. Foi uma expressão forte da juventude, que, na sociedade francesa da época, não tinha uma voz muito escutada", avalia.

Para ele, a beleza da exposição se encontra nos registros fotográficos encontrados após o desaparecimento de Gras, em 2007. "Elas têm uma qualidade, um equilíbrio artístico muito forte. Representam o sentimento, o espírito de maio de 68, uma coisa particular e expressiva", comenta o adido.

Leia também:
Exposição apresenta obras de Hélia Scheppa e Ana Catarina Mousinho
Galeria Ranulpho celebra trajetória com exposição de Vicente do Rego Monteiro
Caio Neiva lança exposição 'Unidade' na Galeria Joana D'Arc


Apresentar a exposição no Instituto Ricardo Brennand também é motivo de celebração. Comparando com as outras cidades pelas quais a mostra já passou - incluindo Salvador e Fortaleza -, a parceria feita entre a Aliança Francesa, o Consulado Geral da França e o IRB apresenta certa vantagem no Recife. "Para nós, o Instituto Ricardo Brennand representa um parceiro tanto a nível de exposição quanto a nível de ciências humanas. É um parceiro importante e consistente, de qualidade muito elevada", elogia Guillaume.

"O Instituto também tem uma organização que permite a muitos estudantes de escolas públicas, privadas e faculdades visitarem o acervo, o que contribui para que os jovens tenham uma noção do que foi esse maio de 68", conclui.

Para ler e se aprofundar

Aproveitando o gancho, o Instituto Ricardo Brennand promove o curso “Os intelectuais do maio de 68”, que faz parte da 12ª edição do Para Ler, entre os dias 26 e 29 de junho, das 8h às 12h30. O objetivo é fazer uma leitura dos intelectuais que vivenciaram o maio de 68 francês, como Edgar Morin, Gilles Deleuze, Pierre Nora, Michael Foucault. O curso será ministrado pelo prof. Dr. François Dosse e as inscrições podem ser feitas pelo site do Instituto Ricardo Brennand

Serviço:
Exposição "No Coração de Maio de 68"
Até o dia 22 de julho
Na Pinacoteca do Instituto Ricardo Brennand (Alameda Antônio Brennand, s/n, Várzea)
R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Informações: (81) 2121.0352/ 0365

 

Veja também

Megan Fox diz que músicas de Britney Spears ajudam a superar medo de avião
Música

Megan Fox diz que músicas de Britney Spears ajudam a superar medo de avião

Hilary Duff diz que sequência de 'Lizzie Mcguire' não vai acontecer
SÉRIE

Hilary Duff diz que sequência de 'Lizzie Mcguire' não vai acontecer