João Carlos Martins desbrava o Recife

O maestro cumpre agenda intensa na Cidade, durante todo este fim de semana, com direito a concerto gratuito ao lado do rio Capibaribe

Maestro João Carlos Martins Maestro João Carlos Martins  - Foto: Divulgação

“Minha primeira ligação com Recife aconteceu quando eu tinha 15 anos. Começou através de um grande amigo. Foi a pessoa que escreveu artigos maravilhosos sobre minha arte e um dos maiores incentivadores da minha carreira”, confessa o maestro João Carlos Martins sobre a Capital pernambucana. Ele, que chegou à Cidade na última sexta-feira, terá agenda cheia por aqui, durante todo o fim de semana.

Marcado pela forte influência da música clássica internacional, João carrega o peso de ser referência em todo o Brasil. É dessa forma que ele vem para aprimorar e trocar experiências com músicos de concertos clássicos em palestra na tarde deste sábado, no Teatro Santa Isabel, onde, aliás, subiu pela primeira vez como músico em Pernambuco. No final da noite deste sábado, o músico representa a Fundação Bachiana Filarmônica em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), no Hall do Museu do Homem do Nordeste. Ainda na ocasião, haverá o lançamento do livro “João de A a Z”, às 18h30, e a exibição do filme “João, o Maestro”, às 20h.

Encerrando sua programação no Recife, o maestro não tinha como sair daqui sem mostrar o que ele mais sabe fazer: a música. João se apresenta junto com seu projeto Orquestrando Brasil no Cais da Alfândega, no Bairro do Recife. Segundo João, “Orquestrando Brasil” chega como ferramenta de inclusão social. “Isso é realizar um sonho de Villa-Lobos. Ele queria conquistar coisas boas para o Brasil com o auxílio da música. O projeto já me trouxe muitos orgulhos. Vejo meninos se encontrando na vida. Quer história final mais bonita do que essa? A música é um dos segmentos com maior poder de inclusão. Une nações e divergências”, enfatizou. O projeto, criado em 2018, já conta com mais de 500 grupos e 18 mil músicos espalhados pelo País, oferecendo capacitação, divulgação e apoio.

Leia também:
O brega e o seu poder de embalar amores e sofrências
Fernanda Gentil ouve e conta histórias em monólogo



Com tanta função social aliada à música, o paulistano também passou por obstáculos em sua carreira de vida como indivíduo, inclusive a perda do movimento da sua mão esquerda. Durante o bate-papo descontraído com esta repórter, João solta metáforas sobre o assunto, mostrando a forma que lidou com tudo isso: “A pessoa quando nasce é como uma flecha que tem que atingir seu destino. Pode ter desvios, erros e acertos. E acho que sempre procurei esquecer os meus erros e aprimorar meus acertos. Você corre atrás dos seus sonhos e, quando menos espera, o sonho começa a correr atrás de você. A música é isso para mim”.


Serviço:

Encontro com o Maestro João Carlos Martins e regentes e coordenadores culturais

Dia: 5 de outubro (sábado)

Horário: das 15h30 às 16h30

Local: Salão Nobre do Teatro Santa Isabel (Praça da República, s/n – Bairro de Santo Antônio - Recife/PE).

João Carlos Martins e Orquestrando Brasil no Recife/PE

Dia: 6 de outubro (domingo)

Horário: 16h

Endereço: Cais da Alfândega, à beira do rio Capibaribe - Recife/PE

Veja também

“Todas as cartas” traz textos inéditos de Clarice Lispector, em setembro
Literatura

“Todas as cartas” traz textos inéditos de Clarice Lispector, em setembro

MTV MIAW 2020: confira os vencedores da premiação
Cultura Pop

MTV MIAW 2020: confira os vencedores da premiação