José Pimentel entre 'sentimento de saudade' e satisfação com nova função na Paixão de Cristo do Reci

Público aprovou o novo interprete de Jesus Cristo, Hemerson Moura, que foi escolhido por José Pimentel

Espetáculo da Paixão de Cristo do Recife 2018Espetáculo da Paixão de Cristo do Recife 2018 - Foto: Gustavo Gloria/Folha de Pernambuco

A última noite da encenação da  22ª edição da Paixão de Cristo do Recife foi marcada pela emoção. Apesar da chuva, vários espectadores compareceram, neste domingo (1º), ao Marco Zero, no bairro do Recife. Esta foi a primeira vez que a montagem encenada no Recife não contou com a interpretação de José Pimentel, aos 83 anos, na pele de Jesus - papel que desempenhou com muita dedicação durante 20 anos.

Desta vez, José Pimentel foi o responsável pela direção do espetáculo. O ator potiguar Hemerson Moura, de 39 anos, protagonizou Jesus Cristo. “O sentimento é de saudade, mas o público recebeu Hemerson Moura muito bem durante estes três dias e pudemos ver que eles ficaram muito agradecidos por termos conseguido realizar o espetáculo”, revelou José Pimentel, em tom carregado de emoção.

Leia também:
Em mensagem pela Páscoa, Papa condena 'extermínio' na Síria
Festa da Pitomba tem início com procissão da Bandeira

“Esse é um momento de reflexão sobre os ensinamentos de Jesus Cristo e que devemos levar por toda nossa vida e durante todo o ano. Ver esse espetáculo é uma forma de manter na lembrança o que Jesus sofreu por nós”, afirmou a coordenadora de produção Janete Santos, que foi assistir ao espetáculo acompanhada de seus esposo e filha.

Janete Santos foi ao espetáculo da Paixão de Cristo do Recife com a filha e o esposo

Janete Santos foi ao espetáculo da Paixão de Cristo do Recife com a filha e o esposo - Crédito: Gustavo Gloria/Folha de Pernambuco

A dona de casa Edilma Lurdes da Silva também vem todos os anos acompanhar a Paixão de Cristo do Recife. O motivo é o mesmo da maioria do público, a renovação de fé e esperança. “Esse é um espetáculo muito bonito. Mesmo sem a atuação de José Pimentel, a peça continua linda do mesmo jeito”, declarou.

Com uma grande estrutura erguida no Marco Zero, a produção da Paixão de Cristo contou com 100 atores e 300 figurantes no elenco que contracenaram num palco (principal) com 20 metros por 16 metros de profundidade, interligado a dois outros palcos. Tudo ficou pronto em 15 dias, e, mesmo com o risco de cancelamento por falta de investimentos, a equipe de produção já estão a postos para começar a captar recursos para o ano que vem.


“Nós queremos trazer algumas mudanças no espetáculo e já começar a trabalhar pela captação de recursos. Foi muito importante ter contado com a ajuda de todos os artistas e parceiros para construir tudo isso”, explicou a produtora Lilian Pimentel, filha de José Pimentel

Mensagem de Respeito

Inesperado por muitos espectadores, a abertura da Paixão de Cristo do Recife foi feita pela drag queen Vagiene Coqueluche, interpretada pelo artista Junior Barros há 25 anos. Ela discursou sobre a intolerância racial, religiosa e de gênero. "Fiquei muito honrada com o convite, pois nós drag queens também temos voz, fé e amor. Apesar de ter causado um choque nas pessoas, fui muito bem recebida, as pessoas se emocionaram. Esse momento foi uma quebra de barreiras e preconceito", finalizou.

Atriz drag queen Vagiene Coqueluche no espetáculo da Paixão de Cristo do Recife

Atriz drag queen Vagiene Coqueluche no espetáculo da Paixão de Cristo do Recife - Crédito: Gustavo Gloria/Folha de Pernambuco

Veja também

Tribunal de Paris retoma investigação contra o ator francês Gérad Depardieu por estupro
Mundo

Retomada investigação contra o ator Gérad Depardieu por estupro

Victória está na roça, e Lipe, Jake e Raissa na prova do fazendeiro
A Fazenda

Victória está na roça, e Lipe, Jake e Raissa na prova do fazendeiro