BBB 21

Juliette é a campeã com 90,15%; relembre trajetória da paraibana

Fenômeno nas redes sociais e entre o público do "sofá", a paraibana arrastou milhões de fãs até a final

Juliette ficou com o prêmio de R$ 1,5 milhãoJuliette ficou com o prêmio de R$ 1,5 milhão - Foto:

Em uma final com resultado já previsto pelo grande público, a paraibana Juliette Freire, 31, foi a grande campeã do Big Brother Brasil (BBB) 21. A advogada e maquiadora venceu a disputa contra a influenciadora Camilla de Lucas e o cantor Fiuk, com 90,15% dos votos do público.

Juliette, que é de Campina Grande, mobilizou um grande público e foi a recordista em seguidores nas redes sociais, tornando-se a segunda participante mais seguida no Instagram na história do reality, atrás apenas da apresentadora Sabrina Sato. Com grande apelo em todas as classes e gerações, a advogada se tornou um dos maiores fenômenos do programa nos últimos anos.

Camilla e Fiuk, que eliminaram outros grandes protagonistas da edição, ficaram em segundo e terceiro lugar respectivamente. Após a eliminação do pernambucano e doutorando em economia Gilberto Nogueira, o caminho ficou mais fácil para Juliette, que dividia o grande público com ele. Os dois chegaram a formar com Sarah Andrade o G3 no início do programa, mas com o tempo se dissipou após a formação e derrubada de alianças no jogo.

A final foi apresentada por Tiago Leifert dentro da casa. Um sofá foi montado para que os três acompanhassem memes e vídeos ao longo da temporada. "Fizemos um sofázinho para vocês. Fiquem à vontade. Preparamos muitas coisas legais para vocês”, disse o apresentador aos finalistas. No segundo bloco, ele anunciou a morte de Paulo Gustavo aos três por Covid-19.

O programa também teve apresentações de ex-participantes. Projota, Karol Conká, Rodolffo e Pocah se apresentaram na edição. "Que Deus possa confortar o coração das famílias de vítimas de Covid. Parabéns a vocês, finalistas. Beijo!”, disse Karol Conká ao apresentar seu novo single, “Dilúvio”, na final. 

Relembre a trajetória de Juliette

Juliette começou o jogo já imunizada, junto a outros cinco participantes, entre camarotes e pipocas. A paraibana, falante, se aproximou de Fiuk e encenou um romance com o ator nos primeiros dias. Foi chamada de inconveniente e exagerada pelos acompanhantes do programa nas redes sociais. Um dos momentos icônicos foi quando ela irritou Lumena após ficar 16 minutos no confessionário, atrapalhando o tempo dos participantes que restavam. 

As duas protagonizaram uma briga que foi relembrada em vários momentos do programa, em que a baiana ficou conhecida pelo meme “Não autorizei”. 

Juliette se tornou protagonista após todos os outros companheiros praticarem bullying e a isolarem do resto da casa, principalmente Karol Conká. Em alguns dos momentos, a cantora chegou a dizer que não suportava a paraibana, porque em Curitiba “havia pessoas educadas” e falavam em tom mais baixo.

Logo Juliette se aliou à Sarah e Gil, formando o G3. No meio do programa, a aliança se dissipou e Juliette disparou como a favorita. Chegou à final com mais de 23 milhões de seguidores, uma torcida grande e como um “case de sucesso” do marketing digital em vários sentidos. Juliette chegou a esgotar celular de R$ 9 mil após vencer prova do líder, aumentou a procura de salgadinhos e se transformou em uma nova “namoradinha do Brasil”, título dado à Regina Duarte nos anos 1980.

Veja também

Série de lives 'Nossas vozes' debate racismo estrutural
13 de maio

Série de lives 'Nossas vozes' debate racismo estrutural

Bruna Marquezine mostra Mia, sua gatinha de estimação
Famosos

Bruna Marquezine mostra Mia, sua gatinha de estimação