Jussara Silveira mostra seu repertório de samba na Caixa Cultural

Artista é a convidada da vez no projeto Samba de Bamba, nesta terça-feira (22), interpretando músicas de Dorival Caymmi e também nomes da nova geração

Jussara Silveira, cantoraJussara Silveira, cantora - Foto: Ricardo Miños Garcia / Divulgação

A 'baianidade', o suingue e a poesia dão o tom do show da cantora Jussara Silveira, atração do projeto musical Samba de Bamba, que ocorre nesta terça-feira (22), às 20h, no teatro da Caixa Cultural Recife. Nascida em Minas Gerais mas radicada na terra de Jorge Amado, a artista repassa os mais de 20 anos de carreira em repertório eclético, que inclui composições como 'Lá Vem a Baiana'.

O espetáculo também funciona, de certa forma, como uma carta de amor à Bahia. No telão, serão projetadas imagens do estado nos anos 1950, em registros do cineasta Alexandre Robatto. O setlist passeia por canções autorais, além de canções de Dorival Caymmi e Assis Valente e até nomes da nova geração, como Tiganá Santana e Moreno Veloso. "Não me considero sambista. Mas com o convite para este show, percebi que havia gravado muitos sambas durante minha carreira e decidi investir nisso", conta a cantora, em entrevista à Folha de Pernambuco.

Leia também:

Pouca Chinfra faz pré-lançamento de CD no Samba do Quintal

Desde 1995, Jussara já tem 11 discos de estúdio lançados, sendo o mais recente um tributo à também baiana Gal Costa, que rendeu elogios da própria cantora e da crítica, e cujo repertório inclui clássicos como 'Vapor Barato'. Mas seu trabalho de maior destaque é, certamente, 'Canções de Caymmi', lançado em 1998 (plena efervescência da axé music), e que representou ponto de virada na carreira.

No palco, Jussara Silveira canta não só as belezas, mas também as mazelas que podem ser aplicadas tanto à Bahia como ao Recife, ou qualquer local em tempos de violência e injustiças sociais. Ela toca acompanhada do percussionista Marcelo Costa e do violonista Muri Costa, em apresentação minimalista que valoriza a poesia e a malemolência. “Faz tempo que não canto no Recife. Quero aproveitar esta oportunidade para rever o público, os amigos, e levar esse repertório lindo para as pessoas”, pontua.

Realizado desde 2016, o Samba de Bamba tem curadoria do jornalista e crítico musical Rodrigo Browne. A proposta é trazer sempre nomes da nova cena do samba, apontando os caminhos do ritmo no futuro. No Recife, o projeto já teve convidados como Wanderley Monteiro, Joyce Cândido e a ex-The Voice Brasil Karla da Silva.

Serviço:

Samba de Bamba com Jussara Silveira
Onde: Caixa Cultural (avenida Alfredo Lisboa, 505, Recife Antigo)
Quando: nesta terça-feira (22), às 20h
Ingressos: R$ 20, R$ 10 (meia-entrada)
Informações: 3425-1905

Veja também

The Voice+: Reality musical com talentos acima de 60 anos começa cheio de emoção
The Voice

The Voice+: Reality musical com talentos acima de 60 anos começa cheio de emoção

Nego do Borel apela para discurso religioso após acusações de agressão
Religiosidade

Nego do Borel apela para discurso religioso após acusações de agressão