Kevin Hart desiste de apresentar Oscar após ser acusado de homofobia

Ator norte-americano foi acusado por uma série de publicações feitas no Twitter de 2009 a 2011. As postagens foram apagadas

Ator Kevin HartAtor Kevin Hart - Foto: Angela Weiss / AFP

O ator e humorista Kevin Hart anunciou na madrugada desta sexta-feira (7) pelo Twitter que não irá mais apresentar a cerimônia do Oscar de 2019. Ele havia sido anunciado como anfitrião da festa na quinta-feira.

A decisão foi tomada após Hart ser acusado de homofobia por uma série de publicações feitas no Twitter de 2009 a 2011. Em uma delas ele diz que se um filho seu quisesse brincar com uma casa de bonecas ele iria "quebrá-la na cabeça dele e dizer 'pare, isso é gay'". As postagens foram apagadas.

Na rede social, o ator diz que iria desistir de apresentar o Oscar porque não queria "ser uma distração em uma noite que deve ser celebrada por muitos artistas talentosos". Ele também pediu desculpas à comunidade LGBT e disse que continua "evoluindo".

Leia também:
Humorista Kevin Hart confirma que irá apresentar o Oscar
Filme brasileiro no Oscar, 'O Grande Circo Místico' estreia nos cinemas

Horas antes do anúncio, Hart havia se defendido em um vídeo onde disse que "se vocês não acreditam que uma pessoa muda, cresce e evolui ao ficar mais velha, não sei o que dizer". Na quinta, Hart disse que trabalhar no Oscar seria a maior oportunidade da sua vida.

Nascido na Filadélfia, o ator de 39 anos atuou em "Policial em Apuros" (2014) e "Um Espião e Meio" (2016). Ele também aparece na mais recente versão de "Jumanji", lançada no fim do ano passado, atuando ao lado de Dwayne Johnson, Karen Gillan e Jack Black.

A próxima cerimônia do Oscar está marcada para 24 de fevereiro.

Veja também

Meryl Streep diz ter ficado deprimida nas gravações de 'O Diabo Veste Prada'
Filme

Meryl Streep diz ter ficado deprimida nas gravações de 'O Diabo Veste Prada'

Ex-produtor de game show de Mario Frias é o novo número dois na Cultura
Cultura

Ex-produtor de game show de Mario Frias é o novo número dois na Cultura