celebridades

Kim Kardashian pede 'compaixão' pelo marido Kanye West

No último domingo, West lançou sua campanha presidencial com um discurso desconexo, fazendo comentários bizarros sobre a abolicionista Harriet Tubman

O rapper Kanye WestO rapper Kanye West - Foto: Jean-Baptiste Lacroix/AFP

Kim Kardashian West comentou nesta quarta-feira (22) sobre o transtorno bipolar do marido Kanye West, pedindo à mídia e ao público para que demonstrem "compaixão e empatia" diante do comportamento errático recente do rapper. 

No último domingo, West lançou sua campanha presidencial com um discurso desconexo, fazendo comentários bizarros sobre a abolicionista Harriet Tubman, revelou que quis abortar sua filha que agora tem sete anos e, por fim, chorou.

Nos últimos dias, ele continuou aparecendo nas manchetes por causa dos seus tuítes, depois excluídos, em que acusou a esposa e a sogra de tentarem prendê-lo e sugeriu estar querendo se divorciar. 

 

A celebridade do 'reality show' Kim Kardashian West escreveu em uma longa postagem no Instagram que havia relutado em falar publicamente sobre como a doença do marido afetou a família dele, "porque eu sou muito protetora com os nossos filhos e o direito de Kanye à privacidade".

"Mas hoje sinto que devo comentar sobre isso por causa do estigma e equívocos sobre a saúde mental", disse a estrela, de 39 anos. 

O transtorno bipolar é uma doença mental caracterizada por mudanças extremas de humor. Os pacientes experimentam mania, estado no qual se sentem eufóricos e quando geralmente agem de forma imprudente, além de apresentar fortes crises de depressão que podem deixá-los incapazes de manter normalmente suas funções e se tornam apegados ao suicídio. 

"Aqueles que entendem sobre as doenças mentais ou mesmo sobre o comportamento compulsivo sabem que a família não tem poder (sobre a situação), a menos que o membro seja menor de idade", escreveu a sra. Kardashian West em seu post.

"As pessoas que desconhecem ou estão distantes dessa experiência podem julgar e não entender que o próprio indivíduo precisa se engajar no processo de obter ajuda, por mais que a família e os amigos tentem ajudá-lo". 

A estrela disse ter entendido que, como figura pública, as palavras de West estavam sujeitas a críticas e poderiam provocar "opiniões e emoções fortes".

'Brilhante e complicado'
No entanto, Kim Kardashian acrescentou que ele é uma "pessoa brilhante e complicada que, além de ser um artista e um homem negro, experimentou a dolorosa perda de sua mãe... Tem que lidar com a pressão e o isolamento que são intensificados por seu transtorno bipolar". 

"Aqueles que são próximos a Kanye conhecem seu coração e entendem que suas palavras algumas vezes não coincidem com suas intenções".

"Nós, como sociedade, falamos sobre dar espaço à questão da saúde mental como um todo, no entanto, também devemos dar às pessoas que vivem com elas", ressaltou a celebridade. 

"Peço gentilmente que a mídia e o público nos dê a compaixão e empatia necessárias para que possamos superar isso", concluiu. 

West, de 43 anos, revelou seu diagnóstico em seu álbum de 2018 "Ye", onde ele chamou o transtorno de "superpoder".

Veja também

Streaming arma guerra global em meio a crise da televisão paga e do cinema
streaming

Streaming arma guerra global em meio a crise da televisão paga e do cinema

Cantora Una lança clipe do álbum de estreia "Esquartejada"
Música

Cantora Una lança clipe do álbum de estreia "Esquartejada"