Laboratório de Dança do Paço do Frevo tem aulas o ano inteiro

Núcleo coordenado por Daniela Santos busca um novo olhar sobre o frevo, respeitando a escuta do corpo do passista-brincante

Soraya Jorge e Daniela Santos, no Paço do FrevoSoraya Jorge e Daniela Santos, no Paço do Frevo - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O frevo não deve ser uma mera repetição de movimentos. E existe espaço para ele o ano inteiro, confrontando as práticas já estabelecidas nas ruas com o ensino de base acadêmica. Uma das provas da vitalidade desta dança que é um dos símbolos da cultura de Pernambuco é o trabalho do Laboratório de Dança do Paço do Frevo, museu no Bairro do Recife.

Em seu terceiro ano de atividades, este núcleo de prática e difusão da dança dentro do espaço cultural comemora ter conseguido agregar ao rol de orientadores profissionais como Soraya Jorge, que ministra oficina a partir desta terça-feira (17).

Criadora do Movimento Autêntico, Soraya busca trabalhar um outro olhar sobre a dança, partindo para apurar a escuta interna do ser humano que pratica os movimentos e na tentativa de se colocar numa posição de não julgamento. "O frevo costuma ser muito fechado no passo [que faz o dançarino], no que é certo ou errado", ressalta Daniela Santos, coordenadora do Laboratório de Dança, que oferece 30 horas aulas por mês.

Daniela Santos lembra que o frevo é prioridade, mas que ele se transforma e se desdobra, ao beber na fonte em outras linguagens. Por isso, existe uma parceria com outras modalidades de dança, como cavalo-marinho, capoeira e caboclinho. Entre as turmas oferecidas regularmente, o espaço disponibiliza aulas de frevo-pilates, e outras para iniciantes e alunos intermediários.

Leia também:
Livro de autora pernambucana mostra o passo do frevo visto por dentro
Companhia de Dança Artefolia leva o frevo pernambucano para os Estados Unidos
RecorDança amplia atuação e lança produtos em documentário, e-book e podcast


Entre os professores, contratados ou parceiros, nomes como Otávio Bastos, Jefferson Figueirêdo. Leilane Nascimento, Júnior Viegas e Alexandre Macedo. "É necessário um conhecimento aprofundado sobre o corpo e suas possibilidades", destaca Daniela. A preocupação com a questão anatômica e em não machucar o corpo do artista está, inclusive, no plano para o projeto da época do centenário do frevo, no documento de salvaguarda dele como patrimônio.

O Laboratório também abriga pesquisas de residência grupos e artistas, de forma permanente, em trabalhos que depois são apresentados no próprio Paço, como do Artefolia, que retornou de turnê nos EUA, Valéria Vicente e de Helayne Sampaio.

Nos dias 28 e 29, Helder Vasconcelos mostra o trabalho em processo do projeto artístico "Tum Tá", em que une a dança à música, através de novas tecnologias. A estreia do espaço foi com Renata Camargo, osteopata, que atua na área de reorganização postural e estrutural do corpo.

Cronograma de aulas:


Outubro


17 e 19/10- Soraya Jorge (7h)

28 e 29/10- Hélder Vasconcelos (10h) e Luiz Santos (3h)

Novembro


04/11 e 05/11 - Nicole Costa (3h) e Mestre Meia Noite (12h)

10 e 11/11- Gabriela Santana (12h) e André Freitas (3h)

Dezembro

02 e 03/12- Maria Eugênia (20h)

16/12 e 17/12- Naara Santos e Marília Rameh (15h)

Veja também

Cinco filmes mais aguardados em 2021
Cinema

Cinco filmes mais aguardados em 2021

Carlinhos Maia será notificado para explicar convite para 'furar fila' da vacina
Covid-19

Carlinhos Maia será notificado para explicar convite para 'furar fila' da vacina