Música

Lágrimas no Mar: Arnaldo Antunes e Vítor Araújo estreiam disco em parceria

O álbum chega nesta quarta (1) nas plataformas de música

Vítor Araújo e Arnaldo Antunes lançam o álbum "Lágrimas no Mar"Vítor Araújo e Arnaldo Antunes lançam o álbum "Lágrimas no Mar" - Foto: José de Holanda / Divulgação

Quando Arnaldo Antunes convidou o pianista recifense Vitor Araújo para integrar seu show no formato inédito voz e piano, não imaginava que desse encontro surgiria um disco. Lágrimas no Mar, fruto desse encontro, chega nas plataformas de música nesta quarta (1). O álbum ainda conta com participações de Pedro Baby e Márcia Xavier.

O dueto entre Arnaldo e Vitor começou no início de 2020, quando começaram a ensaiar "O Real Ao Vivo", que se transformaria no show de lançamento do último álbum de Arnaldo, "O Real Resiste". Juntos idealizaram um show em formato inédito para ambos, com as canções do álbum, releituras entremeadas de releituras de canções mais antigas e poemas. Vitor criou os arranjos para piano e assinou com Arnaldo a direção musical. 

Em março, quando estavam prestes a estrear, foram surpreendidos pelo início da pandemia e tiveram que cancelar indefinidamente as datas já agendadas. Entraram em compasso de espera até que, em setembro, mês do aniversário de sessenta anos de Arnaldo, decidiram apresentar esse trabalho em algumas lives, quando já se tornara possível realizar o show completo, não de casa ou à distância, mas num palco com cenário, luz, figurinos e projeções, como o havia concebido.

A primeira live aconteceu no teatro do Sesc Pompéia, que acabara de reabrir, apenas para transmissão de espetáculos online, sem a presença do público. Na ocasião também gravaram algumas músicas para o documentário Arnaldo 60, da Globoplay. Depois fizeram no Theatro Municipal (na Virada Cultural), no teatro Sérgio Cardoso, no Inhotim (Galeria Psicoativa Tunga), entre outros.

A sequência de ensaios e apresentações foi revelando muitas afinidades entre os dois — a busca pela síntese, o gosto pela experimentação, a performance intensa de palco, a compreensão da natureza emocional das canções. Revelou-se uma sintonia criativa surpreendente entre eles, apesar das diferentes trajetórias individuais e de Vitor ter praticamente a metade da idade de Arnaldo. Tudo isso ativou o desejo de realizar uma gravação em estúdio, uma vez que a turnê ao vivo continuava sem previsão de acontecer durante todo o ano de 2021.

De início, pensaram em registrar alguma canção do show, como um single. Depois tiveram a ideia de rearranjar algo do repertório de Arnaldo que não fizesse parte do show. De uma ou duas faixas, passaram a pensar em um EP. Por fim, com o envolvimento crescendo a cada encontro, passaram a arranjar e ensaiar também canções inéditas e o álbum foi se formando.   

Lágrimas No Mar foi gravado no estúdio Canto da Coruja, mesmo estúdio em que Arnaldo havia gravado seus dois últimos discos, RSTUVXZ e O Real Resiste, num sítio no interior de São Paulo, entre galinhas, patos, cachorros, gatos, vacas e cavalos. Banhos de lago, trilhas na mata, cachoeiras. Juntando a imersão na música e o convívio com a natureza.

Assista ao clipe de "Fim de Festa": 
 


No repertório acabaram entrando quatro músicas inéditas (Enquanto Passa Outro Verão, Lágrimas no Mar, Umbigo e A Não Ser); uma parceria de Arnaldo com Erasmo Carlos (Manhãs de Love), que a havia gravado em seu álbum Gigante Gentil, de 2014, mas que era inédita na voz de Arnaldo; duas releituras de canções de seu repertório mais antigo (Fora de Si, do álbum Ninguém, de 1995 e Longe, do Iê Iê Iê, de 2009) e duas interpretações de canções de outros autores (Fim de Festa, de Itamar Assumpção e Como 2 e 2, de Caetano Veloso).

Arnaldo e Vitor buscaram soluções originais que renovassem as músicas já conhecidas, em relação a suas versões originais. Em Fora de Si, Vitor extraiu uma verdadeira orquestra do piano, desdobrando o instrumento em várias vozes e timbres, enquanto Arnaldo realizou uma colagem de vozes alternadas entre duas oitavas. Em Como 2 e 2, a canção é atravessada por sons do piano que sugerem explosões, tiros, helicópteros, sirenes, aviões, num retrato emocionado da desolação dos tempos atuais.

Nessas duas faixas, e também em Fim de Festa, Vitor elaborou arranjos com várias camadas de piano gravadas em overdub, tocadas no teclado ou diretamente nas cordas, explorando regiões e timbres inusitados do instrumento. Arnaldo interpreta várias delas em seu tom grave característico, mais solto com o acompanhamento do piano, podendo explorar e variar os tempos de seu canto com serenidade, saboreando cada sílaba, com expressividade na medida justa.

Há duas participações especiais no disco, de Pedro Baby tocando violão e guitarra em Lágrimas no Mar e de Marcia Xavier cantando com Arnaldo em Como 2 e 2 e em Umbigo. Esses encontros trazem surpresas luminosas à dinâmica do álbum. O álbum tem dois clipes— o já lançado Fim de Festa, com participação de Rubi Assumpção e o de Lágrimas no Mar, gravado com Vitor e Arnaldo numa praia, que será lançado em dezembro. Marcia Xavier assina a direção dos clipes e a concepção visual do projeto.

Ficha Técnica:

Produzido por Arnaldo Antunes, Vitor Araujo e Gabriel Leite
Arnaldo Antunes - voz
Vitor Araújo - piano e arranjo para piano
Pedro Baby - violão de nylon e guitarra em Lágrimas no Mar
Marcia Xavier - voz em Como 2 e 2 e Umbigo
Gravado por Gabriel Leite no estúdio Canto da Coruja, Piracaia - SP, em Agosto de 2021.
Assistente de gravação Marcelo Ariente Mckoy.
Mixado por Gabriel Leite nos Estúdios Casa da Lua e Casa da MiA.
Masterizado por Maurício Gargel no estúdio MGargel Áudio Mastering. 

 

 

Veja também

São João de Caruaru 2024 começa nesta sexta (19), com shows na zona rural da cidade
SÃO JOÃO 2024

São João de Caruaru 2024 começa nesta sexta (19), com shows na zona rural da cidade

Boninho para Matteus: "Cara, você é uma graça. Superbacana"
bbb24

Boninho para Matteus: "Cara, você é uma graça. Superbacana"

Newsletter