Cultura+

Líderes do KKK foram pagos para fingir em série da A&E, revela revista

A "Variety"o apurou que os líderes do Ku Klux Klan receberam centenas de dólares em cada dia de filmagem

Sessão plenária da AlepeSessão plenária da Alepe - Foto: Roberto Ramos/ Alepe

Prevista para 10 de janeiro, a série "Escaping the KKK: A Documentary Series Exposing Hate in America", do canal pago A&E, deveria retratar quem deixa o grupo de ódio americano. Acabou cancelada por suspeita de propina.

Agora, uma investigação da revista "Variety" provou que os produtores, porém, pagaram membros da organização para que dissimulassem e até mesmo pagaram por crucifixos de madeiras e suásticas que eles originalmente não usavam.

A publicação apurou que os líderes do Ku Klux Klan receberam centenas de dólares da produtora contratada em cada dia de filmagem. Em troca, deviam distorcer os fatos diante da câmera e contar uma narrativa previamente definida sobre os que querem deixar o grupo.

Os personagens do documentário chegaram a receber roteiros quase ficcionais e eram instruídos sobre suas falas. A produção também os orientou a forçar sua personalidade, motivações e relacionamentos com os outros, além de forçá-los a repetir diversas vezes sequências até que a direção estivesse satisfeita.

Um dos líderes da KKK contou à revista que um dos produtores o encorajava e repetir a expressão "nigger", de cunho altamente racista, durante as entrevistas.

A A&E recusou comentar as acusações da revista "Variety". O canal enviou uma declaração em que afirma que irá tomar providências sobre a produção e que já decidiu cancelar a exibição do documentário, cuja realização está sendo investigada pela emissora.

Veja também

João Gomes anuncia rapper L7nnon como segundo convidado de DVD que será gravado no Marco Zero
MÚSICA

João Gomes anuncia rapper L7nnon como segundo convidado de DVD que será gravado no Marco Zero

Atriz Anne Heche está intubada e estável após grave acidente de carro nos EUA
hospitalizada

Atriz Anne Heche está intubada e estável após grave acidente de carro nos EUA