'Malvados', de André Dahmer, tem tirinhas reunidas em livro

Com traços simples e humor ácido, obra do cartunista carioca ganhou a internet e as páginas de jornais, provocando reflexões sobre temas atuais

"Malvados", de André Dahmer "Malvados", de André Dahmer  - Foto: Reprodução

Se você utiliza as redes sociais com certa frequência, já deve ter se deparado com alguma das tirinhas assinadas por André Dahmer. É dele a autoria de "Malvados", conhecido pelos traços simples e textos ácidos. A série, que nasceu na internet e ganhou as páginas dos jornais, acaba de ser compilada em livro, lançado recentemente pela Companhia das Letras, através do selo Quadrinhos na Cia.

A publicação reúne 368 tirinhas produzidas ao longo de nove anos. Sempre de olhos bem abertos para o que a realidade tem a mostrar, o desenhista usa todo o seu sarcasmo para abordar temas como meio-ambiente, internet, casamento, religião e - como não poderia deixar de ser no Brasil atual - política. "Nos últimos quatro anos, a gente está vivendo uma bagunça institucional. Acredito que o livro reflete bem o momento do País e, infelizmente, deve continuar assim por muito tempo ainda", comenta o autor, em entrevista à Folha de Pernambuco.

Mordaz em suas críticas ao governo, o quadrinista diz que o que não falta é material para fazer humor no noticiário político nacional. "Os cartunistas são um dos poucos grupos felizes do Brasil, porque está tão fácil trabalhar ultimamente", ironiza. Saindo da brincadeira, ele lamenta o estado no qual o País se encontra. "Por ser homem, branco, hétero e de classe média, não estou na linha de frente do sofrimento. Imagina você ser um jovem de 18 anos, negro e de periferia hoje em dia. O momento é muito difícil para as minorias. Basta você ver o índice de morte violenta e ver quem são as pessoas que morrem dessa maneira", constata.

Leia também:
Ângela Botelho lança quadrinhos escritos pelo filho, morto em 2013
Quadrinho digital entrelaça França e Brasil para celebrar data francesa
Coletânea reúne a obra de Caco Galhardo nos quadrinhos

Apesar do tom trágico e, por vezes, derrotista que adota em suas piadas, Dahmer não se considera um pessimista em relação ao futuro do Brasil. "Sou apenas um cara que olha o País e suas contradições com olhos duros, porque esse é um País duro. Estamos vivendo tempos de um obscurantismo muito grande. Existe um discurso contra a ciência, as artes, o jornalismo, mas acho que tudo passa. Não sei quanto tempo isso vai demorar, mas acredito muito no nosso povo", defende.

Capa de

Capa de "Malvados" - Crédito: Reprodução



Dahmer foi um dos primeiros cartunistas brasileiros a utilizar as redes sociais para divulgar seu trabalho. Ciente de que a internet foi uma ferramenta importante para torná-lo conhecido por boa parte dos seus fãs, o artista não deixa de satirizar o comportamento online em suas tirinhas. Ele também não escapa dos famosos "haters".

"Tenho meio milhão seguidores no Twitter. Eu denuncio e bloqueio robôs todos os dias. São perfis criados há poucos meses, com pouquíssimos seguidores e, quando você vai ver as postagens deles, são só ataques de raiva contra certos segmentos. Ainda não consigo entender como é que não investigam quem é que paga por isso. É uma coisa de louco. Entendo que o cerne do problema é esses pequenos grupos artificiais, que fazem uma barulheira e causam uma desinformação muito grande", critica.

André Dahmer

André Dahmer - Crédito: Reprodução



Os personagens de "Malvados" apareceram na internet pela primeira vez em 2002. Na época, já tinham uma aparência indefinida, às vezes comparada a girassóis, de onde vem o apelido "flores do mal". "Naquela época, não existia nenhuma ferramenta de publicação. Era tudo feito no HTML mesmo. Por isso, queria fazer algo que pudesse publicar todos os dias, de maneira rápida e fácil. São figuras simples, mas que têm características de bom desenho. Mas o forte do trabalho é o texto mesmo. Eu desenhei pouquíssimas vezes esses personagens, escaniando tudo depois. A concepção do que eles são fica para o leitor. Acho que isso não precisa de explicação", pontua.

Serviço

"Malvados", de André Dahmer
Quadrinhos na Cia, 384 páginas
Preço médio: R$ 84,90

"Malvados", de André Dahmer - Crédito: Reprodução


Veja também

Polícia encontra supostas músicas inéditas de Renato Russo
Rio de Janeiro

Polícia encontra supostas músicas inéditas de Renato Russo

Mezzo-soprano apresenta clássicos da poesia francesa no Recife
Virtual

Mezzo-soprano apresenta clássicos da poesia francesa no Recife