Mariane Bigio assume a área de Literatura à frente da Secult-PE

A poeta e escritora planeja dar continuidade aos projetos do antecessor com foco no público infanto-juvenil

Cordelista e escritora, além de radialista e cantora, Mariane deve tocar nova fase do A Gente da PalavraCordelista e escritora, além de radialista e cantora, Mariane deve tocar nova fase do A Gente da Palavra - Foto: Felipe Ribeiro/Arquivo Folha

A poeta e escritora Mariane Bigio, 30 anos, acaba de assumir a vaga de Wellington de Melo, que ficou seis anos à frente da Coordenadoria de Literatura da Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE). Pernambucana, Mariana se destacou no campo das artes pela versatilidade, trabalhando também como cantora, contadora de histórias e radialista, com destaque para seu trabalho como cordelista.

“É uma experiência interessante porque sempre estive do outro lado, com os artistas, pleiteando. Agora, tenho a oportunidade de aprender como tudo funciona e de trazer as ideias da classe artística para o meu trabalho”, conta Mariane, à Folha de Pernambuco.
A artista assumiu o cargo já nesta semana, e se reúne com membros da equipe para discutir os projetos que coordenará no segmento representando a Secult-PE.

Entre as prioridades, está o foco para a literatura infanto-juvenil, um dos filões que mais cresce no mercado nacional. “Wellington deixou uma herança muito forte e pretendemos abraçar os projetos da gestão anterior, na medida do que o orçamento permitir.

Já tínhamos um excelente diálogo antes da saída dele. Vejo meu trabalho como uma continuidade do que já vem sendo feito, além de agregar novas ideias”, conta.

Um dos projetos que deve ter continuidade é o A Gente da Palavra, que promove atividades de leitura e circulação de livros em comunidades carentes da cidade. Wellington de Melo segue agora para a área de docência, atuando como professor na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Nascida no Recife, Mariane Bigio lançou em 2007 seu primeiro folheto de Cordel, “A Mãe que Pariu o Mundo”. Desde 2012, divide com a irmã Milla Bigio, multi-instrumentista, o projeto Cordel Animado, que mistura cordel, música e sonoplastia, utilizando teatro de bonecos, mamulengo, fantoches e outros recursos cênicos.

Outra iniciativa de sucesso é a “Rádio Matraquinha”, infantil produzido e transmitido pela Rádio Folha 96.7 FM - nos sábados, às 11h - e online para o Brasil, desde de 2015. Nele, Mariane se junta à jornalista Cláudia Bettini. Desde o ano passado, participa do grupo infantil Bandalelê.

Veja também

Teatro e debate na programação do JGE Conecta desta terça-feira (19)
Festival

Teatro e debate na programação do JGE Conecta desta terça-feira (19)

Filmes e séries de época: história reescrita com passados sem preconceitos
Filmes e Séries

Filmes e séries de época: história reescrita com passados sem preconceitos