MC diz que funk criticado por apologia ao estupro foi 'mal interpretado'

Faixa de MC Diguinho foi retirada da seleção do Spotify após denúncias pelo teor que remete à apologia ao estupro

MC DiguinhoMC Diguinho - Foto: Reprodução/Instagram

 Após a repercussão negativa de "Só Surubinha de Leve", que foi criticada por apologia ao estupro e removida de plataformas de streaming, MC Diguinho afirma que a faixa foi "mal interpretada". O cantor aparece em um vídeo de sua produtora, GR6 Music, divulgado nessa quarta (17).

"O Brasil inteiro está de olho nesse moleque nesse exato momento, agora a internet parou, a televisão parou pra ver esse moleque, com certeza, pode olhar agora nas redes sociais, que ele parou o Brasil inteiro e claro a GR6 junto com você fez esse trabalho", disse o apresentador ao convocar Diguinho ao palco.

O MC cantou alguns funks antes de se manifestar a respeito da polêmica. "A rapaziada na internet hoje em dia entende a música de um jeito, cem pessoas, cada um vai entender de um jeito, mas eu queria passar a música de um jeito e ela foi mal interpretada", disse.

Leia também:
Spotify retira funk criticado por apologia do estupro
Clipe de Anitta movimenta turismo e funk no Vidigal


Ele, então, apresentou o funk com a letra modificada. "Brota e convoca as tchucas/ Mais tarde tem fervo, hoje vai rolar suruba / Só surubinha de leve com essas minas malucas/ Taca a bebida, depois taca e fica / Mas não abandona na rua / Só surubinha de leve/ Surubinha de leve com essas minas", cantou. O MC aparece no fim do vídeo, a partir de 1h38 de duração.



Na faixa original, o trecho que revoltou internautas era cantado como "taca a bebida/ depois taca a pica/ e abandona na rua".

"Só Surubinha de Leve" liderava o pódio de faixas virais no Spotify e também figura entre as mais tocadas do serviço no Brasil. Após denúncias de ouvintes, a faixa foi removida das plataformas de streaming e do YouTube, no qual já somava mais de 14 milhões de visualizações.

Ainda na noite dessa quarta (17), o cantor afirmou nas redes sociais que irá lançar a versão "light" do polêmico funk.

Um comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da produtora GR6 Music afirma que o cantor "reconhece o conflito de informações devido toda repercussão" e que Diguinho "mora com a sua mãe, irmãs e uma sobrinha".

"Jamais iria denegrir a honra e moral das mulheres", completa a nota de esclarecimento. "Em respeito a tudo isso, a música será lançada na versão light."

Veja também

Demi Lovato será a apresentadora do People's Choice Awards 2020
Premiação

Demi Lovato será a apresentadora do People's Choice Awards 2020

Anitta, Gagliasso, Emicida e mais famosos criticam Bolsonaro e privatização da saúde
Brasil

Anitta, Gagliasso, Emicida e mais famosos criticam Bolsonaro e privatização da saúde