'Me chame pelo seu nome' é romance de descobertas

Uma das apostas para abocanhar a estatueta do Oscar deste ano, filme do italiano Luca Guadagnino estreia nesta quinta (18)

Filme Me chame pelo seu nomeFilme Me chame pelo seu nome - Foto: divulgação

Nessas semanas que antecedem o Oscar (que ocorre no dia 4 de março) um dos filmes que vem chamando a atenção é "Me chame pelo seu nome". Mesmo sem ter conquistado prêmios no Globo de Ouro, evento que em geral é visto como termômetro para o Oscar, o filme, que é dirigido pelo italiano Luca Guadagnino, tem roteiro escrito por James Ivory e é baseado em um romance de André Aciman, segue como uma das apostas deste ano.

A história é sobre um romance que se forma de maneira intensa e inesperada, um melodrama sobre o processo de iniciação e descobertas sexuais. O filme se passa nos anos 1980 e fala sobre o jovem Elio (, filho do professor Sr. Perlman (Michael Stuhlbarg) e Annella (Amira Casar), casal que hospeda com regularidade pesquisadores americanos em sua bela casa na Itália. O visitante desta vez é Oliver (Armie Hammer), e de imediato surge o fascínio de Elio pelo hóspede.

O que torna o filme progressivamente delicado e cativante é a evolução das emoções de Elio: no começo ele parece não compreender exatamente a total extensão e magnitude do encanto que sente; ele descobre a diversidade de suas sensações aos poucos, através de toques, olhares e noites intranquilas. A câmera de Guadagnino é uma espécie de instrumento de pesquisa: capta gestos do jovem, a tentação sinalizada em instantes decisivos.

Aos poucos fica evidente a intenção de Oliver, o que está por trás de suas ações, a força dessa aproximação. É quando o filme se afirma como um drama romântico; os encantos de um descobrimento mútuo; os afetos que mesmo quando permanecem em silêncio parecem vivos e notáveis. Quando esses sentimentos são declarados, o filme se torna mais ou menos linear, evitando certos confrontos, dedicando-se apenas aos instantes de beleza de corações apaixonados.

Os atores que interpretam o par romântico se destacam por dar vida e afeto a um roteiro que na maior parte do tempo é comum e sem surpresas. A atuação dos pais de Elio parecem mais intrigantes, mesmo com pouco tempo de tela. Até perto do fim nunca fica realmente claro o que sentem ou sabem, mas as pequenas sugestões através de olhares e certas brechas em seus discursos tornam o filme mais interessante.

Mesmo com boas atuações, "Me chame pelo seu nome" parece apenas um roteiro comum bem filmado, uma história de amor que não chega à essência dos sentimentos que repassa em cena.

Cotação: bom

Leia também
Filme 'Corpo e alma' apresenta história sutil e envolvente
Vale a pena assistir 'Voldemort: A Origem do Herdeiro', filme feito por fãs?
Filme sobre Winston Churchill estreia nesta quinta-feira no Recife

Veja também

Nego do Borel sofre acidente de moto e vai parar no hospital
famosos

Nego do Borel sofre acidente de moto e vai parar no hospital

Thiago Martins critica aglomerações e dias depois dá festa em novo apartamento
celebridades

Thiago Martins critica aglomerações e dias depois dá festa em novo apartamento