'Menina Bruno' na reabertura do Teatro Valdemar de Oliveira

Estrelada pela atriz Aurora Jamelo, a peça 'Menina Bruno' apresenta a dura e potente realidade das mulheres trans. O espetáculo é o primeiro a ser encenado no Valdemar de Oliveira após sua reabertura

Aurora Jamelo dá vida à menina trans BrunoAurora Jamelo dá vida à menina trans Bruno - Foto: Divulgação

O teatro é marcado por resistência e, quando se trata de uma peça incumbida em retratar uma forte realidade, este sentimento é levado ao limite. "Menina Bruno" chega neste sábado (7), às 20h, ao Teatro Valdemar de Oliveira, contando a trajetória de muitas delas, que estão Brasil afora.

A atriz Aurora Jamelo, de 21 anos, dá vida a Bruno: uma menina transgênero de Arcoverde, cidade do Sertão pernambucano, que sai da casa dos pais em busca de reconhecimento da sua identidade. No caminho, enfrenta as dificuldades e necessidades de ser uma mulher transexual. A montagem da peça é do diretor Rhommel Bezerra, e o espetáculo integra a programação do 2º Festival Transborda de Cultura sem Gênero.

Sendo mulher trans, Aurora se une a Bruno de corpo e alma. "Durante a primeira leitura e o caminhar do processo de montagem, percebi o quanto nossas histórias são reais. É forte e frágil representar em alma artística o que acontece comigo e com tantas de mim em corpo social, e encenar isso no palco de um teatro é ter mais um espaço para poder gritar", declara a atriz, oriunda da Escola Municipal de Arte João Pernambuco, localizada na Várzea.

Na construção de Bruno, Aurora não esconde o quão doloroso foi este processo. "Foi de refletir uma vivência que não é só minha, ou seja, não fiz isso sozinha. Foram as histórias que li sobre os tempos de ditadura, foram as 'Meninas Bruno' que encontrei buscando sobreviver expulsas pelos pais, foi a Dandara assassinada, a Dália violentada", destaca.

'Menina Bruno' estreou em 2017, na primeira edição do Festival Transborda. Na ocasião, todo o elenco da peça era cisgênero (pessoas que se identificam com o gênero no qual nasceram). "Rhommel Bezerra tinha o desejo que isso fosse mudado. Em maio passado, ele me viu na plateia do Teatro Apolo e, meses depois, me encontrou nas redes sociais e me fez o convite para um teste", relembra Aurora, reiterando o compromisso da equipe em propagar vivências reais.

"Divido o palco com uma amiga, Sophia William. Desde o início, Rhommel trouxe a preocupação e a atenção em nos ouvir, e revisamos o texto, alterando problemáticas existentes e aconselhando a inclusão de novas experiências".

Leia também:
Taís Araújo diz que voltar para o teatro salvou sua carreira
Teatro do Bonsucesso, em Olinda, é reaberto após 20 anos
Festival Transborda traz diversidade ao Recife


O texto de 'Menina Bruno' provocou uma vida além a Aurora Jamelo, que mesmo como mulher trans ela não possui. "Mesmo nessa vivência de margem, posso dizer que tenho privilégios. Não fui expulsa de casa, não fui obrigada pela vida a lutar de forma tão dura pela minha sobrevivência, a vivenciar trajetórias que não são fáceis para ninguém. Mas tudo isso está nas vidas de Bruno, de Pura, Bartô, Luana Muniz e de tantas outras que encontrei pela noite, e estes e outros estão cada vez mais presentes graças a espaços de voz e luta como o Festival Transborda". 

Reabertura

Fechado desde 2015, o Teatro Valdemar de Oliveira reabre as portas com "Menina Bruno", sendo a primeira peça após esse período. "O Valdemar, para mim, sempre foi um nome na TV, naqueles comerciais que divulgavam o teatro pernambucano. Me senti engolida pela história, cada canto tem um fragmento do que foi construído como arte aqui no Estado. É um encanto saber que vou estar naquele palco pela primeira vez, falando sobre uma história tão importante, acendendo outra vez os holofotes do teatro. É acontecimento para ficar marcado na minha vida de atriz", comemora Aurora.


Serviço:
"Menina Bruno", no 2º Festival Transborda de Cultura Sem Gênero
07 e 14 de Abril, às 20h
Teatro Valdemar de Oliveira (Praça Osvaldo Cruz, 412-A, Soledade/Boa Vista)
Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada)// R$ 20 + 1kg de alimento não perecível (meia-social), valor que será doado para o GTP+ (sujeito à capacidade do teatro)
O público trans tem entrada gratuita (sujeito à capacidade do teatro)

Veja também

Novela 'Brega & Chique' entra na programação do Globoplay
Streaming

Novela 'Brega & Chique' entra na programação do Globoplay

Teatro Beberibe é liberado para eventos
Pandemia

Teatro Beberibe é liberado para eventos