Cultura

Metrópole completa 20 anos com show da cantora Gretchen, nesta sexta-feira (29)

Maria do Céu, proprietária do Club MetrópoleMaria do Céu, proprietária do Club Metrópole - Foto: Ed Machado / Folha de Pernambuco

Se existisse um título de embaixada da diversidade do Recife, certamente iria para o Club Metrópole, que comemora nesta semana duas décadas de existência e resistência da comunidade LGBTQIA+. A festa de aniversário será nesta sexta-feira (29), a partir das 22h, com show de ninguém menos que Gretchen, a artista que mais se apresentou na história da boate. Além de open bar, o evento contará com dançarinos, os DJ Josafá, DJ Macaxeira, DJ Tribalzeira, DJ Fran Albuquerque e os residentes Lucas Monteiro, Pax e Alê. O ingresso custa R$ 120 e está à venda no Sympla.

Resistência e retomada
Em 2021, a casa reabriu parcialmente e se readequou ao momento da pandemia. Na área aberta, criou o espaço “Social da Piscina” com clientes sentados e reservas de mesas, seguindo os protocolos de segurança. Com o avanço da vacinação, a boate foi reabrindo aos poucos. "É uma trajetória que conta muito sobre a noite do Recife, da resistência de um lugar que é um território da diversidade. Feliz em chegar até aqui plena, pós-pandemia, contratando pessoas para trabalhar, trazendo artistas e ativando nossos palcos de cultura LGBT”, diz Maria do Céu, dona da boate. 

 

Maria do CéuA psicóloga e empresária Maria do Céu, dona da Metrópole, falou sobre os novos projetos da casa

O começo do sonho
Nos anos 1980, a boate Misty embalava a noite no bairro da Boa Vista. Maria do Céu, uma das frequentadoras da casa, chegou a desfilar lá como modelo, carreira que exercia na época. Na década seguinte, em 1994, se tornou empreendedora e abriu no mesmo local a boate Doctor Freud. Só em 2002 a boate ganharia o nome de Club Metrópole. 

“A gente sabe que há uma tendência na sociedade ao conservadorismo e esses comportamentos são repetidos também dentro da comunidade. Então é muito importante a gente trazer essa consciência de que o mesmo direito que ela tem de encontrar, de beijar e conhecer alguém aqui dentro, também tenha no condomínio, na praia ou no transporte público”, comenta a empresária, citando a história do ex-BBB Gil do Vigor, um dos frequentadores que levou o nome da boate em rede nacional, durante a edição passada do programa. 

Rainha do rebolado
Na festa da sexta, Gretchen se apresenta no palco do Bar Brasil com participação do seu marido, o saxofonista Esdras de Souza. Além de ser uma artista que acompanhou todos os momentos da Metrópole, a cantora e digital influencer comunga das mesmas bandeiras e criou uma relação de intimidade com Maria do Céu. Quando Gretchen se mudou para o Recife, um dos primeiros shows que fez foi na antiga Doctor Freud. E ela virou convidada frequente.

A carreira da cantora Gretchen tem uma ligação afetiva com a história da Metrópole A carreira da cantora Gretchen tem uma ligação afetiva com a história da Metrópole

“Ela tem uma história muito grande com a gente aqui na Metrópole, inclusive a história dela como mãe de uma pessoa trans. Quando Tammy começou todo o processo de se descobrir, se revelar e existir como ela existe, tudo isso começou no camarim da Metrópole. Thammy estava com a namorada e, de repente, Gretchen entrou no camarim. E Gretchen fez cara de paisagem, como se não tivesse acontecendo nada. A partir dali, começou a conversar sobre a orientação sexual dela. E isso está no livro que Thammy lançou”, lembra Maria do Céu.

Gretchen coloca o público LGBTQIA+ como referência de vida. "Das superações, das discriminações, dos preconceitos e de tudo que eles passam e do quanto eles vencem isso a cada dia e precisam vencer um novo processo de aceitação das pessoas", diz a cantora, que também elogia a política da boate de combate ao assédio. 

Ações afirmativas
Entre as novas ações da Metrópole estão o PajuBar, casa vizinha, com acesso independente, que traz o clima de barzinho com terraço ao ar livre. Em 2022, ainda, reabre o Bar do Céu, voltado para um público mais jovem fã de pop e da arte drag. Entre 18 a 21 de agosto, faz 10ª edição do "Love Noronha festival LGBTI+" e o "Love Pipa", no Rio Grande do Norte, em outubro. Também mantém o Instituto Boa Vista - ONG que trabalha com projetos de empregabilidade, testes rápidos de DST’s e HIV, entre outros.

 

Veja também

'A amiga genial', de Elena Ferrante, é eleito o melhor livro do século, veja todos os 100
PREMIAÇÃO

'A amiga genial', de Elena Ferrante, é eleito o melhor livro do século, veja todos os 100

Festival Miçanga: confira as novas atrações do evento que acontecerá no Classic Hall
Festival

Festival Miçanga: confira as novas atrações do evento que acontecerá no Classic Hall

Newsletter