Museu Egípcio do Cairo exibe 'múmia que grita'

Batizada como "homem desconhecido E", acredita-se que teria sido enforcado por tramar o assassinato de seu pai

A "múmia que grita", oficialmente denominada "homem desconhecido E", exposta no Museu Egípcio do CairoA "múmia que grita", oficialmente denominada "homem desconhecido E", exposta no Museu Egípcio do Cairo - Foto: AFP

O Museu Egípcio do Cairo exibiu a "múmia que grita", os restos do filho de um faraó que, acredita-se, teria sido enforcado por tramar o assassinado de seu pai. Batizada como "homem desconhecido E", a múmia, que normalmente não é exibida, parece ser de um homem que sofreu uma dolorosa agonia.

O Ministério das Antiguidades do Egito disse que as análises de DNA confirmaram que a múmia é do filho de Ramsés III, que reinou entre os anos 1186 e 1155 antes de nossa era.

Leia também:
Oito múmias são encontradas em túmulo faraônico com mais de 3 mil anos de antiguidade


Os restos mostram que foi enforcado e coberto em pele de ovelha, algo que os antigos egípcios consideravam impuro. O filho de Ramsés III, Pentawere, foi condenado à morte por seu papel em tal complô, segundo relatam papiros antigos. Pentawere conspirou junto com sua mãe, Tiy, a segunda esposa de Ramsés III, para assassinar o faraó.

Embora não esteja claro se Ramsés III morreu naquela ocasião, há indícios de que foi esfaqueado no pescoço.

Veja também

Atriz do filme 'Rebecca', da Netflix, teve ataques de pânico após fim das gravações
Streaming

Atriz do filme 'Rebecca', da Netflix, teve ataques de pânico após fim das gravações

De look novo, Andressa Urach adota postura liberal e critica evangélicos
Celebridades

De look novo, Andressa Urach adota postura liberal e critica evangélicos