No Recife, festival não seleciona peça com temática LGBT por receio de ataques a ator

Espetáculo "Puto", monólogo interpretado pelo ator argentino Ezequiel Barrios, foi cogitado pela curadoria do festival, mas não foi escolhida para preservar a "segurança e bem-estar" do artista

Ator argentino Ezequiel BarriosAtor argentino Ezequiel Barrios - Foto: Reprodução/Facebook

Uma peça estrangeira que aborda a homossexualidade ficará de fora da 8ª edição do festival Cena CumpliCidades, que ocorre no Recife a partir da próxima terça-feira (23), devido às manifestações públicas de violência que acontecem no País neste período de eleições. De acordo com a organização do evento, o espetáculo "Puto", monólogo interpretado pelo ator argentino Ezequiel Barrios, foi cogitado pela curadoria do festival, mas não foi selecionada para preservar a "segurança e bem-estar" do artista.

Por meio de nota, o festival esclarece que a peça não chegou a entrar na programação porque o Cena CumpliCidades entendeu que poderia deixar artistas estrangeiros vulneráveis diante dos atuais episódios de violência no Brasil. "Pelo atual contexto político do nosso País, com manifestações públicas de violência e embate ideológico, não nos sentimos confortáveis em trazer um artista estrangeiro que poderia estar em uma situação vulnerável", afirma a nota.

Leia também:
Censura à apresentação de peça com transexual em Garanhuns leva à ação do MP
Feteag leva espetáculos e residências artísticas para Caruaru e Recife
Neste final de semana tem “Show da Luna” no Teatro RioMar
Festival de Dança do Recife reúne espetáculos locais, nacionais e internacionais

"Lamentamos muito. A gente queria que o espetáculo estivesse na programação. No entanto, passado o primeiro turno das eleições, se descortinou um clima de polarização estranhíssimo no País, em uma eleição atípica. Isso começou a gerar uma série de desconfortos, que depois viraram hostilidade, ataques e até assassinatos. Nesse contexto de radicalizações e destemperos extremistas, achamos melhor trabalhar no campo da prudência", explica Arnaldo Siqueira, curador e programador do festival, em entrevista à Folha de Pernambuco.

A apresentação ocorreria na Universidade Federal de Pernambuco, onde não seria possível promover segurança extra. "Contatamos a instituição, que informou que transitam 40 mil pessoas diariamente no campus do Recife. Ficou subtendido de que não haveria como priorizar a segurança de uma pessoa específica", conta. Arnaldo afirma que está nos planos do evento trazer o solo à capital pernambucana em outro momento.

Ainda segundo a organização do festival, o evento continua abordando a defesa das minorias e da arte, e espetáculos brasileiros sobre a temática fazem parte da programação. "Mantivemos na nossa programação a mesma temática em espetáculos de artistas brasileiros, que sentimos que estão completamente a par da situação do país e se comprometem com a resistência", acrescenta a nota.

Confira a nota na íntegra:

O Cena CumpliCidades está na sua oitava edição em 2018 e é um festival de resistência. Já se apresentaram nos palcos das cidades por onde passou mais de 250 espetáculos de várias partes do mundo, sempre com temas a favor da arte, da liberdade de expressão e da democracia plural e resistente da dança como expressão artística ímpar. Entre os temas que abordamos estão danças iberoamericanas, danças francesas, pornografia na dança, ritmos africanos, valorização de espetáculos regionais, equidade de gênero e diversidade sexual, etc. O espetáculo do artista Ezequiel Barrios, “Puto”, foi cogitado pela curadoria do festival por estar dentro do perfil que sempre tivemos orgulho de promover.

Alguns exemplos de espetáculos que trazem temáticas semelhantes e que estiveram no nosso palco: Gritaram-me Vogue, Corpornô, Samba do Criolo Doido, Proibido Elefantes, Good Boys, Transobjeto e os argentinos Moral Amoral e Inmoral e La Wagner. O bailarino argentino Ariel Davila, que esteve no Cena CumpliCidades do 2016, inclusive, fez um depoimento nesta quarta, dia 17/10, na sua rede social falando e elogiando o festival, que tem perfil voltado para as artes da cena: dança, performance, música.

Importante ressaltar que a temática da nossa edição 2018 continua a mesma: a defesa das minorias e da arte. Não houve nenhum cancelamento da programação oficial. O espetáculo “Puto” não chegou a ser confirmado na lista final da seleção 2018. Alguns trabalhos, inclusive este citado, acabaram não sendo selecionados pelo cuidado que o festival tem de não expor artistas a situações inesperadas. O Cena prioriza sempre a segurança e bem-estar dos artistas que passam pelos nossos palcos. Pelo atual contexto político do nosso país, com manifestações públicas de violência e embate ideológico, não nos sentimos confortáveis em trazer um artista estrangeiro que poderia estar em uma situação vulnerável. Mas mantivemos na nossa programação a mesma temática em espetáculos de artistas brasileiros, que sentimos que estão completamente a par da situação do país e se comprometem com a resistência.

Mais um coisa importante a ser dita: os espetáculos estão sendo programados dentro de uma universidade, onde não poderíamos promover segurança extra para estar dentro dos padrões e normas do espaço público de educação.

Arnaldo Siqueira
Curador e Programador do Cena CumpliCidades

Veja também

Cinco filmes mais aguardados em 2021
Cinema

Cinco filmes mais aguardados em 2021

Carlinhos Maia será notificado para explicar convite para 'furar fila' da vacina
Covid-19

Carlinhos Maia será notificado para explicar convite para 'furar fila' da vacina