Nomes de peso encenam o espetáculo "A ceia dos cardeais"

Grandes representantes do teatro pernambucano - Carlos Reis, Rogério Costa e Paulo de Pontes - estão juntos no palco

Carlos Reis e Rogério Costa encenam a adaptação de uma comédia de 1902Carlos Reis e Rogério Costa encenam a adaptação de uma comédia de 1902 - Foto: Pedro Portugal/Divulgação

Três diferentes gerações do teatro pernambucano dividem a cena em "A ceia dos cardeais", peça cuja estreia ocorre nesta terça-feira (23), às 19h, no Teatro Barreto Júnior, repetindo sessão amanhã, no mesmo horário. A montagem, que integra a programação do 24º Janeiro de Grandes Espetáculos, leva ao palco um trio de atores experientes: Carlos Reis, Rogério Costa e Paulo de Pontes. Com produção de Paulo de Castro, coordenador do festival, o espetáculo tem encenação assinada por Romildo Moreira, diretor do Teatro de Santa Isabel.

"Um dos motivos que me fez aceitar a função de diretor foi o elenco. Reunir três bons atores é um privilégio para qualquer encenador e também para a plateia. Carlos Reis, por exemplo, é um intérprete que não se vê todos os dias atuando. Há uma geração que acompanhou de perto a carreira dele e adoraria vê-lo nos palcos novamente", pondera Romildo Moreira.

De fato, Carlos Reis não é visto em uma produção teatral recifense desde 2008, quando estrelou uma adaptação de "O crime do Padre Amaro", de Eça de Queiroz, com direção de Lúcio Lombardi. Seu principal trabalho, nos últimos 20 anos, tem sido o de diretor da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém.

Leia também:
Artista Joana Lira expõe Carnaval do Recife em São Paulo
Livro se debruça sobre a atuação do Teatro de Cultura Popular em Pernambuco
Cinema São Luiz está com as portas fechadas

Aos 81 anos, Carlos Reis participou de alguns dos mais importantes grupos teatrais pernambucanos, como o Teatro Popular do Nordeste (TPN) e o Teatro de Arena do Recife. "Muita coisa mudou desde o início da minha carreira. A profissão de ator está mais regularizada, mas também está mais difícil produzir um espetáculo com uma equipe grande. Hoje, é preciso dispor de recursos muito altos para isso, e o teatro não remunera bem. Se compararmos a outras linguagens, como o cinema, a bilheteria é sempre menor. Por essa e por outras, a qualidade das produções teatrais têm caído muito", comenta o artista.

Dramaturgia atual

Com texto original do português Júlio Dantas, "A ceia dos cardeais" se passa no século 18 e mostra o encontro entre três representantes do Vaticano: um português, um espanhol e um francês. Entre vinhos e mesa farta, eles discorrem sobre ideias políticas, fazem reflexões sobre a Igreja Católica do papa Bento XIV e abordam assuntos íntimos. "O tema básico da peça é o amor, que é universal. Apesar de serem padres, esses homens tiveram seus casos amorosos no passado, nunca revelados antes, e que só agora compartilham entre si", adianta Carlos Reis.

De acordo com Romildo Moreira, mesmo tendo estreado em 1902, a comédia não perdeu sua atualidade. Escrita em versos alexandrinos, a peça foi adaptada para prosa por Carlos e Rogério. "Gostei muito do tratamento dramatúrgico que foi dado ao texto clássico. Acho que a adaptação o aproximou ainda mais do público contemporâneo", afirma o diretor.

Serviço:
Espetáculo "A ceia dos cardeais"
Terça-feira (23) e quarta-feira (24), às 19h
No Teatro Barreto Júnior (Rua Estudante Jeremias Bastos, s/n, Pina)
Ingressos a R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada)
Informações: (81) 3302-5914

Veja também

Ex de Dudu diz que teve caso com Gusttavo Lima quando era casado
famosos

Ex de Dudu diz que teve caso com Gusttavo Lima quando era casado

Programa do Ratinho volta a ter plateia de 30 pessoas testadas para Covid-19
televisão

Programa do Ratinho volta a ter plateia de 30 pessoas testadas para Covid-19