Nova série da Netflix tenta, sem sucesso, emular magia de 'Sex and the City'

"Valeria" é o novo seriado espanhol da Netflix, já disponível no streaming

Valeria, nova série da NetflixValeria, nova série da Netflix - Foto: Divulgação

Um seriado em que a personagem principal é uma escritora na casa dos 30 anos moradora de uma grande cidade. Sentada à mesa de casa, ela encara seu notebook em busca de inspiração. Às vezes, também escreve em um café. E, ao cair do dia, encontra três amigas para falar de relacionamentos e sexo. Esse é, mais ou menos, o resumo de "Valeria", o novo seriado espanhol da Netflix.

Difícil imaginar uma série que se passe em um escritório qualquer com um chefe sem-noção sem pensar em "The Office", ou uma em que amigos são vizinhos de porta num prédio sem pensar em "Friends". Pois também fica difícil assistir a "Valeria" e não pensar em "Sex and the City". Os roteiristas e criadores têm de aceitar que algumas séries já colocaram o sarrafo muito alto em suas linhas gerais temáticas.

Estão ali a amiga tímida e romântica, a louca por sexo falastrona e a advogada competente travada.

Leia também:
Após sucesso na Netflix, Joe Russo fecha contrato para escrever 'Resgate 2'
De 'Hulk' a 'Batman Begins'; veja o que chega em maio na Netflix


Estamos, porém, longe da era do desbunde da qual Carrie era um símbolo, mas sim na Madri pós-crise de 2008. No lugar de drinques em bares da moda, cervejas na calçada e festas em apartamentos. No lugar de Manolos Blahniks e Chanéis, tênis e combinações coloridas saídas da H&M.

Estamos agora, também, na era do Whatsapp e do Tinder, que desempenham um papel importante na trama. A série abusa do recurso já manjado de troca de mensagens que aparecem na tela.

"Valeria", nome da protagonista, é baseada numa série de quatro livros -e um spin-off- de 2013 da escritora espanhola Elísabet Benavent, que começou com autopublicação na internet e, ainda não traduzida no Brasil, alcançou um grande sucesso de vendas. A adaptação é divertida, cheia de cores e de belas locações, e tem mais cenas de sexo do que a série das nova-iorquinas. Há, também, uma tentativa de representar uma maior diversidade, já que uma das amigas é lésbica, mas o resultado é tímido: todas são brancas e nenhuma é imigrante, por exemplo.

Embora o elenco feminino seja excelente e consiga entregar um entrosamento crível para amigas de 30 anos confusas com o futuro, os atores homens principais têm atuação sofrível, exalando uma sensualidade juvenil, cheia de olhares estranhos, que remete a "Crepúsculo". Os diálogos parecem, por vezes, saídos de postagens de redes sociais e manuais do politicamente correto, deixando pouco espaço para a polêmica.

No fim, dá mesmo é aquela vontade de fazer um Cosmopolitan e pegar os DVDs das temporadas de "Sex and the City".

VALERIA
Onde Disponível na Netflix
Elenco Diana Gómez, Silma López, Paula Malia e Teresa Riott
Direção Inma Torrente e Nely Reguera
Avaliação Regular

Veja também

DaBaby, rapper que tem parcerias com Dua Lipa e Anitta, é excluído do Lolapalooza
Homofobia

DaBaby, rapper que tem parcerias com Dua Lipa e Anitta, é excluído do Lolapalooza

Billie Eilish fala que não é feliz com próprio corpo: 'Mas quem está?'
Reflexões

Billie Eilish fala que não é feliz com próprio corpo: 'Mas quem está?'