Nove pernambucanos entre os selecionados do Itaú Cultural

Resultado do Rumos Itaú Cultural, anunciado na manhã desta segunda-feira (28), tem 109 propostas de todo o Brasil. Pela primeira, vez foram selecionadas produções de todo o país.

Eduardo Saron, diretor do Itaú CulturalEduardo Saron, diretor do Itaú Cultural - Foto: Ophelia/Divulgação

Acaba de ser anunciado o resultado do Rumos Itaú Cultural 2017-2018, projeto que incentiva a produção cultural de diferentes estados e artistas no Brasil. Este ano foram selecionados 109 propostas, entre mais de 12 mil inscrições, vindos de todos os estados do País - Pernambuco inscreveu 576 projetos e teve nove escolhidos.

Pela primeira vez em sua história, foram contemplados projetos de todos os estados brasileiros. "A democratização do acesso precisa estar presenta, mas não pode ser o principal paradigma", disse Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural. "Para nós a principal meta do fazer e da ação cultural é a participação", ressaltou.

Entre as marcas desta que é a 18ª edição do edital foi relevante a conexão entre os projetos encaminhados e as discussões contemporâneas no Brasil, como negritude, LGBTQIA+, questões indígenas e assuntos ligados à mulher. Também é possível notar a inclusão de ferramentas de acessibilidade, facilitando a participação de surdos e pessoas cegas ou com baixa visão.

Leia também:
Ancine anuncia cotas de gênero e raça em edital para produção de filmes
Ministro da Cultura lança maior edital de cultura popular no Recife
Equipe do Itaú Cultural tira dúvidas sobre edital na Caminhada Rumos


Um dos projetos que se conecta com a ideia de acessibilidade é de Igor de Andrade Rocha, de Pernambuco. "Palhaço Surddy" prevê a criação de um espetáculo teatral solo, do ator, que é surdo (o próprio proponente do projeto), em parceria com um diretor artístico com experiência em clown, junto a uma capacitação para o uso e difusão de Libras e com tradução e interpretação em Libras.

Entre os nove pernambucanos selecionados está o projeto "Pífanos: do mapeamento à salvaguarda". "É a continuidade de um projeto de mapeamento e pesquisa em várias regiões de Pernambuco", explica Claudia Lisboa, uma das organizadoras, ao lado de Amaro Filho, Eduardo Monteiro e Daniel Magalhães.

"Tivemos apoio do Funcultura e já fomos para diversas regiões - Agreste, Sertão, Pajeú. Publicamos dois livros, distribuídos em escolas públicas. Temos ainda a ideia de um site, que está sendo aprimorado, um livro e uma exposição, resultados de toda essa pesquisa", detalha.

"Esta pesquisa é importantíssima para a salvaguarda da expressão musical de pífano", opina Amaro Filho. "A gente imagina que o pífano é uma tradição do Nordeste, especialmente de Caruaru, mas não é só isso. Está presente em quase todo Brasil, dos índios da Amazônia até o Sudeste e, claro, o Nordeste", explica.

"Essa pesquisa é importante porque temos contato direto com as bandas. Vamos nas regiões e conversamos com as pessoas. Usamos uma metodologia de dados criada pelo Iphan. Fomos capacitados para isso. É importante porque no tempo que ficamos aguardando editais, a gente perdeu um bocado de mestre", ressalta.

Outro projeto aprovado é "Pontilhados - Intervenções Humanas em Ambientes Urbanos", de Mônica Lira. "Esse é um projeto para um espetáculo que já realizamos no Recife, e agora vamos montar essa estrutura em duas outras capitais, São Paulo e Porto Alegre", diz Mônica.

 

Grupo Experimental de Dança levará desdobramento de

Grupo Experimental de Dança levará desdobramento de "Pontilhados", de Mônica Lira, a São Paulo e Porto Alegre - Crédito: Leo Motta/Arquivo Folha de Pernambuco


"É um trabalho de intervenção urbana. É um espetáculo a que o público assiste fazendo um passeio. Aqui montamos no Bairro do Recife. Queria falar sobre território, o lugar onde a gente cria e circula. Queria atrair o olhar das pessoas comuns para a rua, para o ambiente da cidade, de forma mais humana, por isso o título", reflete a artista.

"A cidade tem uma dinâmica que nos faz viver sem parar. É preciso parar um pouco e prestar atenção em coisas que são tão potentes e também sensíveis. É uma experiência que mexe com a cabeça e os sentimentos das pessoas que ocupam a cidade", detalha.

"Vamos agora fazer uma criação baseada nas histórias e nas realidades dessas duas capitais. É um projeto bem desafiador, mas é uma experiência incrível. Todo espetáculo é assistido e acompanhado pelo público através de fone de ouvido. Toda dramaturgia e música estão no fone. Os espectadores acompanham a trajetória dançando e escutando através do aparelho", ressalta.

   Avaliação

A avaliação dos projetos inscritos no Rumos foi feita inicialmente por 40 profissionais, vindos de diferentes áreas de atuação e regiões do país. Em seguida, na segunda fase, os projetos passaram por um processo de avaliação e análise pela Comissão de Seleção, multidisciplinar, formada por 21 profissionais, incluindo os gestores da própria instituição.

Projetos de Pernambuco

Caravana MusiLibras (Instituto Som da Pele)
Recife-Pernambuco
Região impactada: Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe
Modalidade: Criação e desenvolvimento
Tema: Formação
Recorte: Acessibilidade/surdo

Como construir uma casa (Carnaval Filmes Ltda - EPP)
Recife-Pernambuco
Região impactada: Pernambuco
Modalidade: Criação e desenvolvimento
Tema: Audiovisual/cinema

Mulheres Fortalecendo Raízes da Cultura Popular (Associação das Mulheres de Nazaré da Mata)
Nazaré da Mata-Pernambuco
Região impactada: Pernambuco
Modalidade: Criação e desenvolvimento
Tema: Gestão cultural
Recorte: Questão feminina

O Mamulengo Brasileiro vai entrando e toma assento (Fernando Augusto Gonçalves Santos)
Olinda-Pernambuco
Região impactada: Pernambuco
Modalidade: Documentação
Tema: Patrimônio e memória

Palhaço Surddy (Igor de Andrade Rocha)
Recife-Pernambuco
Região impactada: Amazonas, Maranhão, Pará e Tocantins
Modalidade: Criação e desenvolvimento
Tema: Teatro
Recorte: Acessibilidade/surdo

Pífanos: do mapeamento à salvaguarda (Página 21 Comunicação Ltda.)
Recife-Pernambuco
Região impactada: Bahia, Ceará, Minas Gerais e Pernambuco
Modalidade: Criação e desenvolvimento, documentação, pesquisa e desenvolvimento
Tema: Patrimônio e memória
Recorte: Questão racial

Pontilhados - Intervenções Humanas em Ambientes Urbanos (Mônica Lira de Queiroz Trindade)
Recife-Pernambuco
Região impactada: Pernambuco, São Paulo e Rio Grande do Sul
Modalidade: Criação e desenvolvimento
Tema: Dança
Recorte: Questão urbana

Probatio: criando instrumentos musicais digitais (Filipe Carlos de Albuquerque Calegario)
Recife-Pernambuco
Região impactada: Pernambuco
Modalidade: Criação e desenvolvimento
Tema: Arte e tecnologia

Yãkwá, imagem e memória (Vídeo nas Aldeias)
Olinda-Pernambuco
Região impactada: Mato Grosso
Modalidade: Documentação
Tema: Patrimônio e memória
Recorte: Questão indígena

Veja também

Roberto Carlos faz 80 anos e diz ser o mesmo cara de sua juventude
Aniversário

Roberto Carlos faz 80 anos e diz ser o mesmo cara de sua juventude

Camilla vence prova do Anjo do "BBB 21" e dá Monstro para Arthur, Caio e Gil
BBB 21

Camilla vence prova do Anjo do "BBB 21" e dá Monstro para Arthur, Caio e Gil