O mea culpa do Oscar?

Ao contrário de edições anteriores, a lista deste ano tem a presença de atores negros e obras com temática racial

Denzel Washington e Viola Davis estão indicados pelo filme "Cercas". Ele para melhor ator; e ela, melhor atriz coadjuvanteDenzel Washington e Viola Davis estão indicados pelo filme "Cercas". Ele para melhor ator; e ela, melhor atriz coadjuvante - Foto: Divulgação

A indústria de cinema hollywoodiana tem uma dívida histórica com a representação negra. No entanto, ela parece estar em busca de redenção e a presença de filmes com a temática racial no Oscar deste ano é um dos motivos que nos levam a crer nisso. Dentre os 20 filmes indicados para as principais categorias, cinco deles estão concorrendo à estatueta e trazem consigo protagonistas negros. Dentre os destaques estão “Moonlight: sob a luz do luar”, com oito indicações, e “Cercas”, com quatro indicações.

Historicamente, a presença tanto de atores negros, quanto de filmes com temática racial indicados ao Oscar era inexpressiva. Em 2015 e 2016, a premiação não nomeou nenhum ator negro entre os 20 concorrentes para as categorias de atuação. Mas os números são ainda mais assustadores: nos 88 anos de história do Oscar, apenas 14 negros ganharam a estatueta nas categorias que julgam as melhores interpretações e apenas 5 ganharam o prêmio de melhor ator ou atriz, que foram Sidney Poitier, Denzel Washington, Halle Berry, Jamie Foxx e Forest Whitaker.

Este ano, além de filmes que tratam objetivamente sobre questões raciais, vimos surgir produções que vão além e abraçam outras causas sociais. “Estrelas além do tempo”, de Theodore Melfi, traz um poderoso discurso feminista ao contar a história de três mulheres que foram decisivas no programa espacial norte-americano durante a Guerra Fria, mas ficaram reclusas aos bastidores dos grandes fatos por serem mulheres negras. A película tem indicações para Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado.

“Moana: um mar de aventuras”, da Disney, que está concorrendo para melhor animação, também é uma produção que mostra o tema do feminismo racial, apontando para uma redenção da produtora com a tématica depois do fracasso de “A princesa e o sapo”, de 2009. No filme, Moana é uma jovem negra que lidera uma aventura em busca de descobrir a origem de seus antepassados e ajudar a sua tribo, o que explicita o empoderamento da protagonista.

Outro filme que destaca a força da mulher negra em meio ao machismo familiar é “Cercas”, dirigido por Denzel Washington - indicado para Melhor Ator. Viola Davis, com uma atuação poderosa, carrega o filme nas costas na pele de uma dona de casa responsável por ser o pilar que sustenta sua família que vive em conflitos por causa do patriarca, Troy (Denzel). A atriz foi indicada para a categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, na qual também foram nomeadas Octavia Spencer, de "Estrelas além do tempo" e Naomie Harris, de "Moonlight: sob a luz do luar". Essa é a primeira vez na história que três atrizes negras são indicadas na mesma categoria. Octavia, inclusive, é a primeira atriz negra a voltar a concorrer ao Oscar após vencer - ganhou Melhor Atriz Coadjuvante, por "Histórias Cruzadas". Outra importante indicação foi a de Ruth Negga, para Melhor Atriz, por “Loving”, um drama sobre um casal interracial nos Estados Unidos segregacionista dos anos 1960.

Além do feminismo, o segmento LGBT também foi contemplado este ano. “Moonlight: sob a luz do luar”, de Barry Jenkins, conta a história de um rapaz gay e negro, expondo todas as relações que interseccionam sexualidade e raça em sua vida. A importância do filme se finca principalmente no fato de não se ater a estereótipos comumente vistos em produções cujos protagonistas são homossexuais, como a comedialização de trejeitos afeminados, sexualização da relação homoafetiva ou dramatização excessiva de dilemas da vivência LGBT.

Veja também

Nova temporada de  'Elite' estreia na Netflix em junho
Série

Nova temporada de 'Elite' estreia na Netflix em junho

Cais do Sertão celebra aniversário com programação voltada à cultura popular
Pernambuco

Cais do Sertão celebra aniversário com programação voltada à cultura popular