O Recife mais uma vez na tela

Após duas semanas na Cidade, diretor Breno Silveira encerra as filmagens de “A costureira e o cangaceiro” hoje

Senador Humberto Costa (PT)Senador Humberto Costa (PT) - Foto: Roberto Stuckert Filho

Terminam nesta terça-feira (8) as gravações de “A costureira e o cangaceiro”, mais novo filme de Breno Silveira, mesmo diretor de “Dois filhos de Francisco” (2005) e “Gonzaga - De pai para filho” (2012). Inspirado no livro homônimo da escritora recifense Frances de Pontes Peebles, o longa-metragem se passa nos anos 1930 e tem Pernambuco como cenário.


As filmagens em terras pernambucanas foram iniciadas há duas semanas e mobilizaram cerca de 70 pessoas. A trama gira em torno das irmãs Emília (Marjorie Estiano) e Luzia (Nanda Costa), que vivem na cidade de Taquaritinga do Norte, interior de Pernambuco. Órfãs, são criadas por uma tia costureira, que ensina seu ofício às duas desde cedo.

No entanto, elas acabam tomando rumos diferentes na vida. Luzia é sequestrada por um bando de cangaceiros e passa a viver com eles no Sertão. Já Emília realiza o sonho de morar na Capital, casando-se com um homem rico.

“É uma história que fala muito dessa relação de irmãs. São histórias familiares, bonitas, mas a base de tudo é a cultura nordestina, que é muito rica. A gente tem desde o cangaço até um Recife muito forte dos anos 1930”, disse o diretor do filme, em entrevista concedida à TV Globo Nordeste.

A produção recria algumas cenas históricas, como a passagem do Zepellin pela Cidade, em 22 de maio de 1930. O elenco conta ainda com nomes como Leticia Colin, Julio Machado, Rômulo Estrella, Ângelo Antonio e Fabio Lago. Lugares como o Palácio do Campo das Princesas, a casa de festas Barrozo - na rua da Aurora - e o Marco Zero serviram de locação.

A equipe também filmou em Olinda e no município de Piranhas, em Alagoas. Nas redes sociais, os atores compartilharam imagens de suas andanças por Pernambuco. “Que maravilhosa essa Olinda. Que felicidade te conhecer um pouquinho”, diz a legenda de um vídeo publicado por Marjorie Estiano no Instagram. No perfil de Letícia Collin, é possível saber que a atriz visitou lugares como o Cinema São Luiz e o restaurante Leite.

Com roteiro de Patrícia Andrade, “A costureira e o cangaceiro” é uma coprodução Conspiração e Globo Filmes. O longa-metragem deve estrear em 2017 e, de acordo com a colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, deve virar minissérie. Esse tipo de adaptação para a televisão ocorreu também com “Gonzaga - De pai para filho”, em 2013, e com “Serra Pelada”, de Heitor Dhalia, em 2014.

 

Veja também

Claudia Raia posa amordaçada e critica falta de respeito ao desejo e corpo da mulher
Famosos

Claudia Raia posa amordaçada e critica falta de respeito ao desejo e corpo da mulher

Centro Cultural Banco do Brasil promove mostra Macabro
Audiovisual

Centro Cultural Banco do Brasil promove mostra Macabro