Ocupação do Cine Olinda exibe filmes sobre eleições

Fechado há décadas, o espaço cultural não tem previsão de reabertura e foi ocupado na última sexta (30)

Entre IrmãsEntre Irmãs - Foto: Divulgação

Quatro filmes serão exibidos, durante a tarde e noite deste domingo (2), no Cine Olinda. O espaço cultural foi ocupado na última sexta-feira (30) e uma programação cultural está sendo oferecida no local, que fica na Av. Dr. Manoel de Barros Lima, s/n - Carmo.

O convite deste domingo (2) foi chamado de "Hoje, Vote no Cinema!", com filmes de temática política. Às 17h será exibido "Arquitetos do Poder", de Alessandra Aldé e Vicente Ferraz. Às 18h é a vez de "Para mudar tudo, um chamado anarquista", que é uma produção coletiva. Às 19h é a vez de "Corpo Transgressão", de Colombina Sanglant e Antena Mutante.

Por fim, às 20h, será exibida a atração especial de encerramento, "Vozerio", filme vencedor do Cachoeira Doc deste ano. O filme é um retrato das mobilizações autônomas de 2013.

O espaço cultural está fechado há mais de 50 anos e sem previsão para reabertura. Na última sexta (30), durante uma roda de conversas entre o movimento Ocupe Cine Olinda e representantes da Prefeitura de Olinda, Iphan e Fundarpe, pessoas que estavam na plateia decidiram ocupar o cinema. Um pequeno grupo está acampado no local desde então, promovendo debates e exibição de filmes. Não há ar condicionado ou cadeiras no local.  No sábado (1º), o movimento #OcupeCineOlinda - que iniciou as conversas com o poder público e promoveu o debate da sexta - publicou no Facebook um manifesto sobre a ocupação popular. Leia o texto na íntegra.

A BATALHA PELO CINE OLINDA

Os movimentos #OcupeCineOlinda, #CineRuaPE e Ponto de Cultura Cinema de Animação reconhecem a importância e o valor simbólico da ação popular espontânea ocorrida na noite de ontem, 30 de setembro, durante o 5o ato público intitulado #OcupeCineOlinda!, realizado na praça ao lado do cinema.

Aproveitamos para esclarecer que os representantes do movimento que estavam à frente da organização não decidiram pela entrada, tendo publicamente reivindicado acesso da área interna do cinema pelo diálogo e em cooperação com as instituições responsáveis.

Durante o debate entre gestores e o público sobre as ações de reforma e uso do Cine Olinda para a reabertura do cinema, um grupo de pessoas entrou no local de forma espontânea e pacífica. Foi uma exibição histórica a de “Martírio”, filme sobre o embate entre populações indígenas e poderes políticos e econômicos, dentro de um cinema cujo acesso foi negado por uma instituição governamental.

Reconhecemos a importância do ato em si, que traduz a força da sociedade para acelerar os entraves da gestão pública e tem peso simbólico positivo no sistema nervoso cultural da cidade, mostrando como é vivo o desejo de entrar no cinema.

Desde sempre, cientes dos riscos envolvidos, nos colocamos como mediadores para viabilizar esta demanda coletiva, que como comprovado pela ação de ontem, está em condições de uso e não oferece riscos de segurança.

Conseguimos avançar nessa negociação ao propor diálogo e convidar os poderes públicos estadual, municipal e federal para um esclarecimento que tomou forma de debate apontando para uma entrada de comum acordo entre os representantes legais: IPHAN e Prefeitura de Olinda, em sintonia com o Governo do Estado de Pernambuco.

No entanto, diante do embarreiramento institucional, fomos impedidos de realizar o evento como gostaríamos: uma sessão de cinema dentro do cinema, com início, meio e fim. É importante lembrar que o acesso ao Cine Olinda tem sido um impasse que se arrasta por meses, desde que a obra conduzida pelo Iphan foi interrompida, aguardando que a prefeitura receba o cinema de volta. Assim sendo, o movimento perdeu o controle perante o calor dos ânimos deflagrados de maneira desarticulada da estratégia principal.

Continuamos acreditando na via democrática e queremos manter o diálogo pela reabertura do cinema, conforme manifesto coletivo redigido e lido ontem, para centenas de pessoas que compareceram ao evento, a saber:

1. A criação de um comitê para gestão compartilhada do Cine Olinda, com participação de representantes do poder público e da sociedade civil, para pensar formas de utilização imediata e sustentável deste espaço, assim como fiscalizar a restauração do prédio;

2. Que o próximo #OcupeCineOlinda aconteça daqui a quinze dias, dentro do cinema, e assim continue em sessões no mínimo quinzenais, até o reinício das reformas;

3. Que o Cine Olinda seja entregue à população, restaurado e equipado no prazo de um ano, a contar da data de hoje.

A ação de ontem comprova que nossas reivindicações são necessárias e plausíveis. Independente de seus desdobramentos, continuamos dispostos a exercer o papel de facilitadores, para que o processo democrático se construa não apenas na cobrança de direitos e no cumprimento de deveres, mas na tomada de responsabilidade de todas as partes.

Que juntos consigamos dar nova vida a este cinema fechado há tantas décadas.

Assinam,

Movimento #OcupeCineOlinda
Movimento #CineRuaPE
Ponto de Cultura Cinema de Animação

 

Veja também

Aniversariante, Kim Kardashian ganha de Kanye West um holograma do pai
Famosos

Aniversariante, Kim Kardashian ganha de Kanye West um holograma do pai

Morre o ator Sean Connery, o primeiro James Bond
Luto

Morre o ator Sean Connery, o primeiro James Bond