A-A+

Os mergulhos de Gabriela Holanda na performance 'Sopro d’Água'

A atriz baiana radicada em Pernambuco faz um alerta para a nossa relação com o meio ambiente

O espetáculo faz parte do 26º Janeiro de Grandes EspetáculosO espetáculo faz parte do 26º Janeiro de Grandes Espetáculos - Foto: Divulgação

A performance "Sopro d’Água", que chega ao Teatro Hermilo Borba Filho para única apresentação, nesta quarta (15), às 19h, é como um grito de alerta para o descaso ambiental e a exploração desmedida da água. O espetáculo faz parte do 26º Janeiro de Grandes Espetáculos, que, no mesmo dia, às 19h, exibe o documentário "Múltiplo Vladi" no Teatro Marco Camarroti, com entrada gratuita. Os ingressos para a performance estão à venda no site do Ticket Folia, por
R$15 (meia).

Quem guia a história é a mestre e licenciada em Artes Cênicas, dançarina, performer e atriz Gabriela Holanda.Em conversa com a Folha de Pernambuco,a baiana radicada em Pernambuco explicou de onde surgiu a ideia para o projeto: “Tudo começou lá em 2013, quando eu comecei investigar no PIBIC um campo de conhecimento que integra o corpo, a mente e o ambiente. Foi também quando comecei entender o sistema de fluidos. Nosso corpo é 80% de água. É todo de fluidos, mesmo sem ser tão perceptível. Em uma dessas investigações eu me percebi totalmente fluida. Vinha muita a imagem do oceano, água do nosso corpo a água que está fora do corpo. Isso ficou muito forte e marcante em mim. E comecei investigar, me aprofundar sobre".}

Leia também:
Espetáculo de dança sobre Frida Kahlo é atração do Janeiro de Grandes Espetáculos
Reverência a Capiba abre o Janeiro de Grandes Espetáculos

A água é o principal ponto da performance, que envolve dança, música e interpretação, mais especificamente um trabalho descrito como experimental, já que toda equipe participou do estudo sobre a água no processo de criação. Thiago Neves, músico responsável pelo espetáculo, revela que a experiência foi de imersão total. “Eu fiz parte de um laboratório dançando na água e conheço de perto. Para mim, foi muito importante entender esse corpo na água, que é de água pontuando na investigação musical. Tudo de Sopro d'Água é muito experiencial. Uso a guitarra ao vivo, sintetizadores e cantos que vieram durante os experimentos na água”, pontuou.

A performance exalta a importância da água e, principalmente, o cuidado que a sociedade deve ter. "A água é essencial. Somos água e essa água está em mim. Ela é vida. E as memórias que habitam nelas vão para além do humano, que essa materialidade e as memórias que habitam elas são para além de mim. Ela está circulando sempre. Pode ser uma geleira, um rio ou no meu corpo. É nossa responsabilidade cuidar dela. E hoje estamos passando por esse colapso ambiental. É urgente falar sobre água. As memórias das pessoas que permeiam acabam sendo caladas com o descaso ambiental. Então é importante a gente olhar para esse ambiente e perceber que somos nós. Muitas vezes minorias. Os pescadores que não conseguem pescar", alerta Gabriela.

"Sopro d’Água" conta com direção de Daniela Guimarães, trilha sonora de Thiago Neves e poesia de Lucas Holanda. Na parte técnica, nomes como Natalie Revorêdo e Thiago Pedrosa.

Serviço:
"Sopro d’Água" (26º Janeiro de Grandes Espetáculos)
Quarta-feira (15), às 19h, Teatro Hermilo Borba Filho
Ingressos: R$15 (meia) no Ticket Folia

Veja também

Paulo Bruscky completa 50 anos de exposição censurada e dispara: 'Nunca tive medo'
Arte

Paulo Bruscky completa 50 anos de exposição censurada e dispara: 'Nunca tive medo'

'Duna' documenta o perigo real de líderes messiânicos, diz diretor Denis Villeneuve
Cinema

'Duna' documenta o perigo real de líderes messiânicos, diz diretor Denis Villeneuve