Pintor do Renascimento Leonardo da Vinci era ambidestro

Obras e frases feitas pelo pintor foram utilizadas como objeto de pesquisa

Leonardo Da Vinci Leonardo Da Vinci  - Foto: Reprodução/ Internet

Um grupo de pesquisadores da famosa Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália, anunciou que descobriu que o gênio do Renascimento Leonardo da Vinci era ambidestro e podia escrever, desenhar e pintar com as duas mãos.

Para chegar a essa conclusão, o centro de pesquisa e restauração do museu estudou o desenho intitulado "Il Paesaggio", a obra mais antiga do versátil mestre toscano.Datada de 5 de agosto de 1473, a tela de Leonardo da Vinci, então com 21 anos, retrata a paisagem do Vale do Arno e o Castelo de Montelupo, na Toscana.

Duas frases, escritas uma na frente e outra no verso, foram objeto da pesquisa. A análise científica permitiu determinar que ambos os lados haviam sido escritos por Leonardo e que um em particular havia sido escrito com a mão esquerda, enquanto o outro com a mão direita.

O relatório também menciona a descoberta, graças a uma lâmpada infravermelha, de que havia um desenho desconhecido no verso do trabalho."A análise revelou algo realmente espetacular, que Leonardo trabalhou com as duas mãos, e não apenas com a mão esquerda, como se sabia", explicou Eike Schmidt, diretor do museu florentino em um comunicado.

Pessoas ambidestras são extremamente raras e na realidade costumam ser canhotas. Segundo a historiadora italiana Cecilia Frozinini, foi o caso do autor da famosa pintura Mona Lisa."Ele nasceu canhoto, mas foi ensinado desde cedo a escrever com a mão direita", explicou.

As autoridades italianas e francesas planejaram uma série de celebrações em torno do 500º aniversário da morte de Leonardo da Vinci, que morreu na França em 2 de maio de 1519.

Veja também

Série ‘Hermeto 85-Vida em Sinfonia’ celebra vida e carreira de Hermeto Pascoal
Música

Série ‘Hermeto 85-Vida em Sinfonia’ celebra vida e carreira de Hermeto Pascoal

Após o Brasil superar 500 mil mortos por Covid-19, artistas postam #ForaBolsonaro
Manifestação

Após 500 mil mortos por Covid-19, artistas postam #ForaBolsonaro