Poesia popular de improviso chega ao Cinema do Museu

Filme de Petrônio Lorena, 'O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras" estreia com festa nesta quinta-feira (15)

Cena de 'O silêncio da noite..."Cena de 'O silêncio da noite..." - Foto: Inquieta Filmes/Divulgação

O documentário pernambucano "O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras" entra em cartaz a partir desta quinta-feira (15) no Cinema do Museu (Fundação Joaquim Nabuco de Casa Forte, Avenida 17 de Agosto, 2187). Dirigido por Petrônio Lorena, o filme conta a história das pessoas e das cidades Ouro Velho e Prata (PB) e São José do Egito (PE) - entre elas Severina Branca, que inspirou o verso que dá nome ao filme.

No longa, destaque para a maneira como essas pessoas se relacionam com a palavra, a rima, a poesia popular de improviso. É composto por entrevistas com os moradores da região e registros históricos de poetas recitando versos, além da observação do cotidiano das cidades.

Leia também:
Conferência homenageia os 118 anos de Gilberto Freyre
Oscar 2018: 'A Forma da Água' levou os prêmios de melhor filme e diretor; veja lista de vencedores
A nova fase de Lara Croft no cinema

O diretor também participa de uma banda, Petrônio e as Criaturas, que vai estar ao lado do Em Canto e Poesia, em festa a partir das 22h, no Capibar (R. Tapacurá, 101 - Monteiro).

Trailer do filme "O silêncio da noite da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras" - Nos cinemas from INQUIETA on Vimeo.

Ingressos: R$ 20 pu R$ 15 + 1 kg de alimento não-perecível (com entrada gratuita para quem apresentar o ingresso da sessão).

 

Veja também

Claudia Leitte terá trio elétrico nos Estados Unidos e comandará Carnaval no país em 2021
famosos

Claudia Leitte terá trio elétrico nos Estados Unidos e comandará Carnaval no país em 2021

Manifesto com Chico Buarque quer aproximar autores de língua portuguesa
artistas

Manifesto com Chico Buarque quer aproximar autores de língua portuguesa