Itaú Cultural

Poetas pernambucanos participam do Festival Cultura Surda

Oficina e debates sobre processos criativos em diversas linguagens permeadas pela Libras, integram programação

Linguagens em Libras vão permear as oficinas no Itaú CulturalLinguagens em Libras vão permear as oficinas no Itaú Cultural - Foto: Divulgação Rumos Itaú Cultural

O Festival Arte como Respiro – edição de Poesia Surda traz 33 nomes do gênero durante todos os sábados de novembro. Alan Henrique Godinho Durand, Lucas Sousa da Cruz e Rebbekka Santos de Souza representam Pernambuco no Festival, junto a outros poetas de diversos estados brasileiros. 

As apresentações acontecem às 17h, no site do Itaú Cultural e seguem novos eixos temáticos: Coronavírus, Empoderamento Negro, Resistência e Território, com trabalhos de cada um dos grupos disponibilizados para o público por 15 dias.

 

Todas as poesias são interpretadas em Língua Brasileira de Sinais (Libras) ou em Visual Vernacular (VV), também chamado de Libras 3D, um recurso artístico e poético próprio das línguas de sinais. 

Festival de Cultura Surda
E durante o mês de novembro o Itaú Cultural promove, dentro da programação mensal do espaço, atividades paralelas online voltadas ao universo da surdez. O Festival de Cultura Surda é uma delas, com mesas de conversas e assuntos variados que vão da atuação e humor, passando pela poesia e expressão no meio digital. 

Para participar do Festival – que acontece entre os dias 3 e 8 de novembro - não é necessário inscrição prévia e os links para cada um dos bate-papos podem ser acessados no site da instituição. Todas as mesas são acessíveis em Libras, contam com legendagem e interpretação para o português.

“Potências da Atuação Cênica em Libras” abre as oficinas e ocorre na terça-feira (3), às 18h30. Composta pelos atores Angela Eiko, Bruno Ramos e Silas Queiroz. Nela, o uso da Língua Brasileira de Sinais e suas particularidades, tendo como pano de fundo as próprias experiências, dão o norte da atividade. 

Já na quarta-feira (4), no mesmo horário, os artistas visuais Bruno Vital e Candy Uranga exploram o assunto sobre o impacto da surdez em seus trabalhos. 

E às 20h30 os humoristas Dimar Santos, Igor Rocha e Gacy de Oliveira abordam a produção de humor em Libras, apresentando como são criadas as ferramentas e estratégias, a exemplo do timing, posturas e temas, para stand-up comedy e outros gêneros do humor.

Na quinta-feira (5) às 18h30, é a vez dos produtores culturais Cristiano Monteiro, Leonardo Castilho e Renata Rezende contarem como é a lógica de trabalho na realização de eventos com foco na cultura surda.

E às 20h30, os produtores de conteúdo Leonardo Viturinno, Nathalia da Silva e Gariel Isaac dizem como fazem seus vídeos e como é a relação com o público, entre outros temas que permeiam este universo das redes.

Faz parte também desta atividade a oficina Poesia em Libras, nos dias 6, 7 e 8, conduzida por Edinho Santos, educador do Itaú Cultural, surdo, pedagogo, ativista, ator e poeta.  O objetivo é apresentar os conceitos fundamentais deste gênero literário para pessoas fluentes em Libras e iniciantes na poesia. 

Serviço: 
Festival de Cultura Surda
De 3 a 8 de novembro, com mesas online às 18h30 e 20h30, via Zoom
Os links das reuniões devem ser acessados no site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br) e as inscrições para a oficina Poesia em Libras devem ser feitas no mesmo endereço eletrônico

Veja também

Espetáculo 'Se eu não vejo' estreia temporada com sessões via WhatsApp
Teatro online

Espetáculo 'Se eu não vejo' estreia temporada com sessões via WhatsApp

JUNTAS solicitam virtualização de inscrições dos editais de Cultura em Pernambuco
Projeto de Lei

JUNTAS solicitam virtualização de inscrições dos editais de Cultura em Pernambuco