Primeira Guerra Mundial é tema de livro lançado por Santiago Farrell

Jornalista e professor universitário argentino elaborou extensa reportagem sobre a Primeira Guerra e suas consequências para a humanidade

Autor buscou dados de livros, vídeos, páginas da internet e organizações que mantêm viva a memória do conflitoAutor buscou dados de livros, vídeos, páginas da internet e organizações que mantêm viva a memória do conflito - Foto: Divulgação

Os efeitos da Primeira Guerra Mundial, que terminou há cem anos, continuam presentes no dia a dia da humanidade. Por isso, "Tudo o que você deve saber sobre a Primeira Guerra Mundial", escrito pelo jornalista e professor universitário argentino Santiago Farrell e lançado simultaneamente no Brasil e na América Latina pela editora Planeta, é um livro atual e de extrema importância.

Ao longo de cerca de sete meses, ele escreveu uma extensa reportagem abordando o assunto através de dados coletados em livros, vídeos, páginas da internet e organizações que mantêm viva a memória do conflito, analisando com rigor e sensibilidade episódios que devem surpreender os leitores.

"Muitos dos fatos que ocorreram durante esta guerra ainda têm repercussões agora. Os conflitos no Oriente Médio, a ascensão dos Estados Unidos como potência, o surgimento do comunismo e do terrorismo, várias questões nacionais", enumera Santiago.

Leia também:
Livro 'Esther - Uma Estrela na Guerra' trata do holocausto para o público infantojuvenil
Frederico Pernambucano de Mello lança "Guerra em Guararapes & outros estudos”
Oliver Stone: "é preciso lembrar a tragédia que uma guerra causa"


Olhando retrospectivamente, algumas pessoas consideram a guerra desnecessária; outros, a vêem como um conflito inevitável. De qualquer forma, a "Grande Guerra" atingiu a Europa, que conforme frisa o escritor "era o berço da civilização ocidental, reunindo os países mais avançados do planeta no campo das artes, das ciências e das constituições políticas, e mesmo assim sucumbiu a uma guerra selvagem, brutal".

A barbárie durou quatro anos, mobilizou 65 milhões de soldados em campos de batalha nos cinco continentes, matou 20 milhões de pessoas entre civis e militares, destruiu três impérios e teve histórias incríveis (como a do soldado inglês que poupou a vida de um jovem Hitler), mudando para sempre o curso da humanidade.

Paralelamente, possibilitou avanços igualmente espetaculares, especialmente em campos como a medicina, a aviação e na inserção feminina no mercado: foi a partir do conflito que as mulheres começaram a atuar massivamente nas fábricas e outros postos de trabalho, substituindo os homens que estavam no front de batalha. "A principal lição que ficou para mim, após escrever este livro, é que manter a paz é uma tarefa permanente, pois a tragédia, a violência, o abismo do ódio estão sempre por aí, rondando", pontua Santiago Farrell.

Trajetória

O escritor é especialista em questões internacionais e atualmente trabalha como editor no jornal argentino Perfil, onde é responsável pela editoria Mundo. Como jornalista, Santiago atuou por muitos anos na Agenzia Nazionale Stampa Associata (Anza), agência de notícias italiana da qual era correspondente em Brasília, onde viveu por seis anos.

Na capital brasileira, ele presidiu a Associação de Correspondentes Estrangeiros. Este é seu terceiro livro lançado no Brasil, mas nos dois primeiros ("Investimentos em Educação , Ciência e Tecnologia : o que pensam os jornalistas" , organizado em 2004 por Jorge Werthein e Célio da Cunha, e "Palavra de Gringo: um olhar estrangeiro sobre o Brasil" , de 2014) ele contribuiu com apenas com um capítulo.

Serviço:
"Tudo o que você deve saber sobre a Primeira Guerra Mundial", de Santiago Farrell
À venda no site da editora Planeta e nas principais livrarias
Preço médio: R$ 37,90; (240 págs.)

Veja também

Eduardo Kobra homenageia Pelé com mural em Santos
Folha Turismo

Eduardo Kobra homenageia Pelé com mural em Santos

Khloé Kardashian revela que teve coronavírus e relata sintomas
Celebridades

Khloé Kardashian revela que teve coronavírus e relata sintomas